terça-feira, 12 de julho de 2016

Terreira da Tribo completa 32 anos e o público de Medeia Vozes recebe um presente neste final de semana!

O espaço Terreira da Tribo - Centro de Experimentação e Pesquisa Cênica do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, está completando 32 anos de existência.
"Este local que abriga os nossos sonhos e acolhe os nossos corpos é um terreno fértil para semear a arte, o afeto e a cidadania". 

A Terreira da Tribo que desde a sua origem em 1984 na cidade baixa sempre foi ponto de aglutinação de pessoas e profissionais dos mais diversos segmentos - fomentando a criação artística em diferentes áreas - desde o ano 2000 é também Escola de Teatro Popular e ocupa um lugar de destaque entre os espaços culturais do Estado, sendo igualmente apontada como uma referência de âmbito nacional. 

E para celebrar mais esta data, neste final de semana quem for assistir ao espetáculo Medeia Vozes, que realiza suas últimas apresentações neste ano em Porto Alegre, irá receber o último lançamento do Selo Ói Nóis na Memória, “Um Cavalo Louco no Sul do Brasil”. O livro com autoria de Paulo Flores registra a trajetória de 38 anos da Tribo em uma edição bilíngue (português/inglês).



Ingressos à venda na Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186) nos dias do espetáculo e no Meme Santo de Casa (Rua Lopo Gonçalves, 176 - Cidade Baixa - das 15h às 20h, de terça a domingo). 
Ingressos R$60,00 inteira e R$30,00 meia (estudante, idoso e classe artística).

Medeia Vozes

A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz toma uma versão antiga e desconhecida do mito, trazendo uma mulher que não cometeu nenhum dos crimes de que Eurípides a acusa. O mito é questionado e reelaborado de maneira original, para analisar o fundamento das ordens de poder e como estas se mantêm ou se destroem. Medeia é uma mulher que enxerga seu tempo e sua sociedade como são. As forças que estão no poder manifestam-se contra ela, chegando mesmo à perseguição e banimento, ela é um bode expiatório numa sociedade de vítimas. A voz de Medeia somam-se vozes de mulheres contemporâneas como as revolucionárias alemãs Rosa Luxemburgo e Ulrike Meinhof, a somali Waris Diriiye, a indiana Phoolan Devi e a boliviana Domitila Chungara, que enfrentaram de diferentes maneiras a sociedade patriarcal em várias partes do mundo.

Medeia Vozes ganhou o Prêmio Açorianos em 8 categorias (melhor espetáculo, atriz para Tânia Farias, cenografia, iluminação, trilha para Johann Alex de Souza, dramaturgia, produção e direção), além do troféu do Júri Popular. E em 2014 ganhou mais um prêmio açorianos na categoria de melhor espetáculo, concedido pela EEPA (Escola de Espectadores de Porto Alegre).

Foto: Pedro Isaias Lucas

Serviço: 
Medeia Vozes - Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
Local: Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186)
Dias: sextas e sábados do mês de julho(15, 16, 22 e 23/07)
Horário: 19h30
Ingressos: R$60,00 inteira e R$30,00 meia (estudante, idoso e classe artística).
Classificação etária: 16 anos
Duração: 210 min
Ficha Técnica: Criação, Direção, Dramaturgia, cenografia, figurinos criados coletivamente pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
Música: Johann Alex de Souza
Preparação Vocal: Leonor Melo

Participam da encenação os atuadores: Tânia Farias, Paulo Flores, Marta Haas, Arlete Cunha, Eugênio Barbosa, Paula Carvalho, Eduardo Arruda, Clélio Cardoso, Roberto Corbo, Letícia Virtuoso, Lucas Gheller, Mayura Matos, Keter Velho, Júlio Kaczam, Daniel Steil, Luana Rocha, Márcio Lima, Alex dos Santos, Pascal Berten e Thales Rangel.



3 comentários:

  1. Quero ir ver o espetaculo tomara tenha ingressos no local.sabe a primeira vez tudo é assustador. para mim né. vou.to curioso.um Abraço. Até.

    ResponderExcluir
  2. Quero ir ver o espetaculo tomara tenha ingressos no local.sabe a primeira vez tudo é assustador. para mim né. vou.to curioso.um Abraço. Até.

    ResponderExcluir
  3. Fui como falei que ia eu e minha namorada.faltei o serviço. um trabalham .Não tinha ingressos mais.uma turma de jovens esperando encaixe.porto alegre não tem nada. Morri no shoping. e deprimente mas certas coisas não são pra.gente.que vivem borboletiando como eu.

    ResponderExcluir