sábado, 24 de setembro de 2016

Medeia Vozes em terras nordestinas!


Medeia Vozes, criação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz de Porto Alegre/RS, com patrocínio da Petrobras, será apresentada de 12 a 23 de outubro, de quartas a domingos, no Centro Cultural RFFSA (Rua Ratisbona, 189) na cidade do Crato/CE, com entrada franca. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do espetáculo. Além das apresentações, o grupo também ministra uma serie de atividades formativas como: workshop/vivência com a Tribo, palestra, filme e a desmontagem Evocando os Mortos Poéticas da Experiência.

 Este Projeto foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2015/2016. As atividades contam com o apoio da Universidade Regional do Cariri, do SESC Crato e da Secretaria de Cultura CRATO – CE.

Dias e horários de Medeia Vozes:
Dia 12 de outubro, às 19h30
Dias 13, 14 e 15, 16 de outubro, às 0h

Dias 19, 20, 21, 22 e 23 de outubro, às 19h30


          Na encenação da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz o mito de Medeia é reinventado. Medeia livra-se da imagem de infanticida e aparece representada em outros termos: trata-se da mulher que ousou desafiar a política estabelecida, foi punida por seu senso de independência e liberdade e banida da cidade por saber de crimes que não deviam ser revelados. A base para a criação de Medeia Vozes é o romance homônimo da alemã Christa Wolf (1929-2011). Em suas investigações, a escritora bebeu em outros estudos da arqueologia, mitologia e sociologia. Retornou às bases do matriarcado primitivo e da fundação das sociedades. Wolf tomou uma versão antiga e desconhecida do mito para afirmar Medeia como uma mulher vítima dos valores e das necessidades do patriarcado, que não cometeu nenhum dos crimes de que a tragédia de Eurípides a acusa.

O espetáculo forma uma obra polifônica, no qual, além das vozes dos personagens narradores do romance, somam-se vozes de mulheres contemporâneas como as revolucionárias alemãs Rosa Luxemburgo e Ulrike Meinhof, a somali Waris Diriiye, a indiana Phoolan Devi e a boliviana Domitila Chungara, que enfrentaram de diferentes maneiras a sociedade patriarcal em várias partes do mundo. Medeia Vozes é Teatro de Vivência, onde o espectador é convidado a vivenciar o espetáculo através de seus cinco sentidos, de maneira interativa com os atuadores, potencializando radicalmente a capacidade transformadora do teatro. Medeia Vozes foi o espetáculo mais premiado da história do teatro gaúcho, recebendo o Prêmio Açorianos em 8 categorias (melhor espetáculo,  atriz para Tânia Farias, direção, cenografia, iluminação, trilha original, dramaturgia e produção) e Prêmio de Melhor Espetáculo pela Escola de Espectadores.

Com a criação coletiva Medeia Vozes a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz dá continuidade ao Projeto Raízes do Teatro e segue uma linha de investigação sobre teatro ritual de origem artaudiana e performance contemporânea. Este projeto já trabalhou com mitos que resultaram nos espetáculos: Antígona Ritos de Paixão e Morte (1990), Missa para Atores e Público sobre a Paixão e o Nascimento do Doutor Fausto de Acordo com o Espírito de Nosso Tempo (1994) e Aos Que Virão Depois de Nós Kassandra In Process (2002) apresentada no Crato em 2003.
           Para contemplar o plano de acessibilidade, o espetáculo Medeia Vozes contará com serviço de audiodescrição e linguagem de libras, datas a confirmar.


ATIVIDADES FORMATIVAS

Nos dias 17 e 18 de outubro será realizado o workshop “Vivência com a Tribo”, das 9h às 12h, no Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri (Av. Castelo Branco, 1056 – Pirajá Nuazeiro do Norte - CE). O workshop, aberto aos grupos locais, estudantes de teatro e público em geral, consiste em um encontro coordenado pelos atuadores do grupo, que investiga movimento e voz para a ampliação do corpo do ator e a ocupação do espaço teatral. As inscrições são gratuitas pelo e-mail terreira.oinois@gmail.com de 10 a 14 de outubro.

No dia 17 de outubro, às 15h, no Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri (Av. Castelo Branco, 1056 – Pirajá Nuazeiro do Norte - CE) acontecerá a exibição do documentário “Raízes do Teatro”, do cineasta Pedro Isaias Lucas, apresentando um dos principais eixos do trabalho de criação do Ói Nóis Aqui Traveiz, que pesquisa as origens ritualísticas do teatro. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do filme.

No dia 18 de outubro, às 19h, no Teatro Adalberto Vamozi SESC-Crato (Rua André Cartaxo, 443 bairro São Miguel), acontecerá a apresentação da “Desmontagem Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” com a atriz Tânia Farias. Na desmontagem, a atriz desnunda seu próprio processo de criação de personagens e do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, além de discutir questões de gênero. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes da Desmontagem.

No dia 25 de outubro, às 14h30, no Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri (Av. Castelo Branco, 1056 – Pirajá Nuazeiro do Norte - CE), será realizado o debate “Teatro de Grupo e a Cena Contemporânea” com grupos teatrais da cidade, no qual serão compartilhadas experiências sobre o processo de criação no teatro de grupo.
Com entrada franca em toda programação, é uma oportunidade única - para o público em geral, artistas, pesquisadores e estudantes de teatro - de entrar em contato com a obra de um dos grupos mais antigos do país.

Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz - 38 Anos!
Durante quase quatro décadas, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz construiu uma trajetória que marcou definitivamente a paisagem cultural do Brasil. Com a iniciativa de subverter a estrutura das salas de espetáculos e o ímpeto de levar o teatro para a rua, abriu novas perspectivas na tradicional performance cênica do sul do país. A determinação em experimentar novas linguagens a fez seguir caminhos nunca trilhados por aqui. Com base nos preceitos de Antonin Artaud e do teatro revolucionário, investiga com rigor todas as possibilidades da encenação. Na busca de uma identidade, desenvolveu uma estética própria, fundada na pesquisa dramatúrgica, musical, plástica, no estudo da história e da cultura, na experimentação dos recursos teatrais a partir do trabalho autoral do ator, estabelecendo um novo modo de atuação. Seu centro de produção, a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, ocupa lugar de destaque entre os espaços culturais do Rio Grande do Sul, sendo igualmente apontada como uma referência de âmbito nacional. 

Funciona como escola de formação de atores e, principalmente, como ponto de aglutinação de pessoas e profissionais dos mais diversos segmentos, fomentando a criação artística em diferentes áreas. A organização da Tribo é baseada no trabalho coletivo, tanto na produção das atividades teatrais, como na manutenção do espaço. Para a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz o teatro é instrumento de desvelamento e análise da realidade; a sua função é social: contribuir para o conhecimento dos homens e o aprimoramento da sua condição.

FICHA TÉCNICA:
MEDEIA VOZES
Criação coletiva da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz inspirada livremente no romance homônimo de Christa Wolf.
Roteiro, encenação, cenografia, figurinos e iluminação da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.
Música: Johann Alex de Souza
Preparação Vocal: Leonor Melo
Atuadores: Tânia Farias, Paulo Flores, Clélio Cardoso, Marta Haas, Eugênio Barboza, Eduardo Arruda, Arlete Cunha, Paula Carvalho, Roberto Corbo, Leticia Virtuoso, Mayura Matos, Luana da Rocha, Keter Atácia, Alex Pantera, Lucas Gheller, Pascal Berten e Júlio Kaczam
Operação de luz e som: Daniel Steil e Márcio Leandro
Contrarregra: Thales Rangel

Serviço:
O que: Espetáculo Medeia Vozes da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
Onde: Centro Cultural RFFSA (Rua Ratisbona, 189)  
Quando: de 12 a 23 de outubro, de quartas a domingos, às 19h30 
Classificação indicativa: 16 anos
Entrada Franca. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do espetáculo.








5 comentários:

  1. As inscrições da oficina são apenas para artistas e estudantes locais? Sou de Petrolina e tenho interesse em participar com mais 3 pessoas da Cia que participo. Seria possível?

    ResponderExcluir
  2. Também compartilho da vontade, sou de Petrolina também

    ResponderExcluir
  3. Compartilho,sou estudante de teatro,como eu posso fazer para me escrever em oficinas?

    ResponderExcluir
  4. As inscrições são abertas a qualquer interessado, através do e-mail terreira.oinois@gmail.com

    ResponderExcluir