ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 2]

    Com um mês de atividades o Teatro Ói Nóis Aqui Traveiz foi interditado pela Secretaria de Segurança. Aí começou uma longa campanha pela reabertura do teatro. O fechamento agravou a situação econômica do grupo e a saída de alguns dos seus integrantes. Para vencer a crise o grupo buscou outros espaços para encenar o seu espetáculo. Também é o momento em que o grupo começou a compartilhar as suas experiências através de uma oficina de teatro. E é principalmente com os jovens desta oficina que criou a montagem de “A Bicicleta do Condenado”, do espanhol Fernando Arrabal: um preTexto para a reVolta do Ói Nóis Aqui Traveiz. Durante o processo de criação integrantes do grupo foram presos em manifestações contra a ditadura. Essa experiência de repressão e violência foi canalizada para a cena. A reabertura do Teatro trouxe para a encenação uma história de opressão e horror, onde duas pessoas tentam sobreviver em um lugar comandado por uma ordem militar. Se no primeiro espetáculo o público fi

III Interfaces Internacional em Uberlândia



A atuadora Tânia Farias da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz participa da III Interfaces Internacional – “Desmontagem como procedimento artístico-pedagógico” em Uberlândia. Tânia Farias estará apresentando sua desmontagem. Uma proposta de desvelar os processos de criação de algumas personagens de sua trajetória, que se mescla ao caminho da própria Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. Estarão presentes também no encontro Ileana Diéguez, Beth Lopes, Narciso Telles, Fernando Aleixo, Mara Leal, Mariene Perobelli, Mário Piragibe, Ana Carneiro, Vilma Campos, Paulina Caon, Coletivo Teatro da Margem, Coletivo Dodecafônico.

Mais informações pelo blog: http://geacufu.blogspot.com.br/