A Visita do Presidenciável

Claudio Heemann (Zero Hora, 18 de dezembro de 1984) Foi em 1978 que o grupo “Ói Nóis Aqui Traveiz” surgiu num espaço alternativo na Rua Ramiro Barcellos. Pela primeira vez, na história do teatro local, Porto Alegre via experimentação anárquica, contestando, de forma radical, todos os valores burgueses. Era uma proposta revolucionária, de forte conteúdo político. A ruptura com as convenções cênicas do teatro tradicional era procurada através de estilização delirante e onírica. O espetáculo transformava-se num ritual insólito, envolvendo os espectadores. Nudez e agressão ao público faziam parte do tratamento de choque que o grupo utilizou na quebra dos moldes consagrados. O grupo logo passou a atuar nas ruas e interferir espetáculo a dentro nas encenações em cartaz na cidade. Algo como uma guerrilha urbana, o “Ói Nóis Aqui Traveiz” não era apenas um teatro de vanguarda, Quixotescamente repudiava toda a ordem político-social vigente. Era uma filosofia de vida e de ação que se derra

Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz viaja esta semana para Portugal



A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz foi um dos grupos escolhidos para representar o país no ano Brasil em Portugal. A Tribo está embarcando esta semana com o espetáculo de teatro de rua “O Amargo Santo da Purificação”, que será apresentado nas cidades de Lisboa e Coimbra.

O Ano do Brasil em Portugal têm o objetivo comum de promover encontros que mostrem a criatividade e a diversidade do pensamento, das manifestações artísticas e culturais dos dois países, além de intensificar o intercâmbio científico e tecnológico e estreitar as relações entre Brasil e Portugal.

A programação teve início em 07 de setembro de 2012 – Dia da Independência do Brasil – e vai até o dia 10 de junho de 2013 – Dia de Portugal. Ao todo serão 10 meses de intercâmbio, no qual o Brasil levará a Portugal sua cultura, do mais tradicional ao mais atual do teatro, cinema, música, artes plásticas, dança, gastronomia entre outras manifestações.

Confira abaixo os horários e os locais das apresentações:
Dia 15 de maio (quarta-feira): Apresentação em Lisboa, na Praça do Comércio, às 18h.
Dia 18 de maio (sábado): Apresentação em Coimbra, no Pátio das Escolas – Centro Histórico da Universidade, às 18h.

“O Amargo Santo da Purificação – Uma visão Alegórica e Barroca da Vida Paixão e Morte do Revolucionário Carlos Marighella” conta a história deste herói popular, que lutou contra as ditaduras do Estado Novo e do Regime Militar, e que os setores dominantes tentaram banir da cena nacional durante décadas. O espetáculo é um painel dos principais acontecimentos que ocorreram no nosso país no século XX. A dramaturgia elaborada pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz parte dos poemas escritos por Carlos Marighella que transformados em canções são o fio condutor da narrativa. Utilizando a plasticidade das máscaras, de elementos da cultura afro-brasileira e figurinos com fortes signos, a encenação cria uma fusão do ritual com o teatro dança. Através de uma estética ‘glauberiana’, o Ói Nóis Aqui Traveiz traz para as ruas da cidade uma abordagem épica das aspirações de liberdade e justiça do povo brasileiro. 
Acompanhem pelo blog mais notícias sobre a viagem.