DUAS CARTAS PARA MEIERHOLD (Continuação)

  Caríssimo Meyerhold, Desculpe a formalidade, mas ela deve-se ao fato de ter te conhecido há pouco tempo, apesar de já fazer praticamente 1 ano (ou seria mais?) desde que fui convidada pelo Henrique Saidel a ver a encenação de um texto criado pelo dramaturgo argentino Eduardo Pavlovsky que mistura sua trajetória com os desassossegos vividos por ti no cárcere. Ao lembrar daquela noite muitas sensações e sentimentos se misturam, há pouco havia me mudado para Porto Alegre, era a primeira vez no espaço Terreira da Tribo e que via a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz em um espaço fechado. Mergulhar no seu imaginário criativo naquele momento acompanhava novas aberturas no meu próprio cárcere privado que constantemente é renovado pelo nomadismo voluntário que me impulsiona a viver em constante revolução cultural, estética e política por esse Brasil.     No entanto, me sinto um pouco envergonhada de ter te conhecido tão tardiamente e esta ser a primeira vez que te escrevo. Sint

Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz viaja esta semana para Portugal



A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz foi um dos grupos escolhidos para representar o país no ano Brasil em Portugal. A Tribo está embarcando esta semana com o espetáculo de teatro de rua “O Amargo Santo da Purificação”, que será apresentado nas cidades de Lisboa e Coimbra.

O Ano do Brasil em Portugal têm o objetivo comum de promover encontros que mostrem a criatividade e a diversidade do pensamento, das manifestações artísticas e culturais dos dois países, além de intensificar o intercâmbio científico e tecnológico e estreitar as relações entre Brasil e Portugal.

A programação teve início em 07 de setembro de 2012 – Dia da Independência do Brasil – e vai até o dia 10 de junho de 2013 – Dia de Portugal. Ao todo serão 10 meses de intercâmbio, no qual o Brasil levará a Portugal sua cultura, do mais tradicional ao mais atual do teatro, cinema, música, artes plásticas, dança, gastronomia entre outras manifestações.

Confira abaixo os horários e os locais das apresentações:
Dia 15 de maio (quarta-feira): Apresentação em Lisboa, na Praça do Comércio, às 18h.
Dia 18 de maio (sábado): Apresentação em Coimbra, no Pátio das Escolas – Centro Histórico da Universidade, às 18h.

“O Amargo Santo da Purificação – Uma visão Alegórica e Barroca da Vida Paixão e Morte do Revolucionário Carlos Marighella” conta a história deste herói popular, que lutou contra as ditaduras do Estado Novo e do Regime Militar, e que os setores dominantes tentaram banir da cena nacional durante décadas. O espetáculo é um painel dos principais acontecimentos que ocorreram no nosso país no século XX. A dramaturgia elaborada pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz parte dos poemas escritos por Carlos Marighella que transformados em canções são o fio condutor da narrativa. Utilizando a plasticidade das máscaras, de elementos da cultura afro-brasileira e figurinos com fortes signos, a encenação cria uma fusão do ritual com o teatro dança. Através de uma estética ‘glauberiana’, o Ói Nóis Aqui Traveiz traz para as ruas da cidade uma abordagem épica das aspirações de liberdade e justiça do povo brasileiro. 
Acompanhem pelo blog mais notícias sobre a viagem.