A Visita do Presidenciável

Claudio Heemann (Zero Hora, 18 de dezembro de 1984) Foi em 1978 que o grupo “Ói Nóis Aqui Traveiz” surgiu num espaço alternativo na Rua Ramiro Barcellos. Pela primeira vez, na história do teatro local, Porto Alegre via experimentação anárquica, contestando, de forma radical, todos os valores burgueses. Era uma proposta revolucionária, de forte conteúdo político. A ruptura com as convenções cênicas do teatro tradicional era procurada através de estilização delirante e onírica. O espetáculo transformava-se num ritual insólito, envolvendo os espectadores. Nudez e agressão ao público faziam parte do tratamento de choque que o grupo utilizou na quebra dos moldes consagrados. O grupo logo passou a atuar nas ruas e interferir espetáculo a dentro nas encenações em cartaz na cidade. Algo como uma guerrilha urbana, o “Ói Nóis Aqui Traveiz” não era apenas um teatro de vanguarda, Quixotescamente repudiava toda a ordem político-social vigente. Era uma filosofia de vida e de ação que se derra

Celebração na Terreira da Tribo!


É com grande alegria que a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz convida a cidade para celebrar o lançamento do seu mais novo livro “Ói Nóis Aqui Traveiz Poéticas de Ousadia e Ruptura” e o lançamento do documentário “Raízes do Teatro”, realizado em parceria com a Artéria Filmes, e com direção de Pedro Isaias Lucas. 

Os lançamentos serão realizados no dia 29 de janeiro, às 20h, na Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186). Neste dia, além da exibição do documentário e o lançamento do livro, o público poderá prestigiar um pequeno show de músicas que fizeram parte dos espetáculos da história do Ói Nóis Aqui Traveiz! O show conta com a presença de artistas e músicos convidados e com atuadores da Tribo! Entrada Franca!

Livro: 
Ói Nóis Aqui Traveiz Poéticas de Ousadia e Ruptura

O selo “Ói Nóis na Memória” lança a sua mais nova publicação “Ói Nóis Aqui Traveiz Poéticas de Ousadia e Ruptura”. O livro organizado por Paulo Flores e Tânia Farias registra a trajetória da Tribo a partir de uma pesquisa histórica com críticas, materiais jornalísticos e um rico acervo de imagens fotográficas.
Este livro constitui um documento vivo que se inscreve no processo de preservação cultural, já que objetiva difundir e socializar o acervo da proposta estética e política desenvolvida pelo Ói Nóis Aqui Traveiz, que desde sua fundação é símbolo de ousadia e ruptura. 
A publicação traz aos leitores registros memoráveis de espetáculos como: Fim de Partida, Ostal, Hamlet Máquina, A Missão - Lembrança de Uma Revolução dentre outros, assim como os espetáculos que tomaram as ruas da cidade, desde “A História do Homem que Lutou sem Conhecer o seu Grande Inimigo” até o atual “O Amargo Santo da Purificação”.
O Selo Ói Nóis na Memória é uma coleção de livros, dvd’s e revistas que registram a trajetória estética e política da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Taveiz e do Teatro Gaúcho.

Documentário:
Raízes do Teatro

O documentário “Raízes do Teatro” com direção de Pedro Isaias Lucas, apresenta um dos principais eixos do trabalho de criação da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. O título do documentário é o nome do projeto criado pelo Ói Nóis Aqui Traveiz em 1987 para sistematizar o estudo das origens ritualísticas do teatro. A principal característica dessa metodologia é o tratamento especial dado aos mitos. Fazem parte do projeto Raízes do Teatro os espetáculos Antígona, Ritos de Paixão e Morte (1990), Missa para Atores e Público sobre a Paixão e o Nascimento do Dr. Fausto de Acordo com o Espírito de Nosso Tempo (1994), Aos Que Virão Depois de Nós – Kassandra in Process (2002) e Medeia Vozes (2013).

Ambos os projetos tiveram financiamento da Secretaria do Estado da Cultura.