DUAS CARTAS PARA MEIERHOLD (Continuação)

  Caríssimo Meyerhold, Desculpe a formalidade, mas ela deve-se ao fato de ter te conhecido há pouco tempo, apesar de já fazer praticamente 1 ano (ou seria mais?) desde que fui convidada pelo Henrique Saidel a ver a encenação de um texto criado pelo dramaturgo argentino Eduardo Pavlovsky que mistura sua trajetória com os desassossegos vividos por ti no cárcere. Ao lembrar daquela noite muitas sensações e sentimentos se misturam, há pouco havia me mudado para Porto Alegre, era a primeira vez no espaço Terreira da Tribo e que via a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz em um espaço fechado. Mergulhar no seu imaginário criativo naquele momento acompanhava novas aberturas no meu próprio cárcere privado que constantemente é renovado pelo nomadismo voluntário que me impulsiona a viver em constante revolução cultural, estética e política por esse Brasil.     No entanto, me sinto um pouco envergonhada de ter te conhecido tão tardiamente e esta ser a primeira vez que te escrevo. Sint

Finalmente dia 15 de dezembro começam as obras para a construção da nova Terreira da Tribo!!!

Em reunião realizada na última semana o Prefeito José Fortunati informou aos integrantes da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz que no próximo dia 15 de dezembro iniciam as obras de construção do Centro Cultural Terreira da Tribo (Rua João Alfredo, 709).  Na reunião estavam presentes os secretários municipais da Cultura e da SMOV. A empresa que venceu a licitação pública para a construção do Centro Cultural Terreira da Tribo foi a 5S Arquitetura e Design. 

Serão mais de 1,7 mil metros quadrados de área construída. Um prédio de três andares que prevê, além do espaço para pesquisa teatral que é própria da Tribo, salas de aula, biblioteca e Centro de Referência do Teatro Popular, sala de exposição, sala de projeção e local para o Acervo da Terreira da Tribo. O projeto é assinado pelos arquitetos Michele Raimann, Genoveva Ost Scherer e Roberto Passos Nehme.



Em março de 2008, ao completar trinta anos de existência, em pleno desenvolvimento do seu trabalho, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz conquistou junto ao poder público municipal o terreno na Rua João Alfredo nº 709, bairro Cidade Baixa, cedido por comodato para construção de sua sede definitiva. Este sonho começa a se concretizar quando a Prefeitura de Porto Alegre garante junto ao Ministério da Cultura (em convênio assinado em dezembro de 2010), por meio de emendas de parlamentares gaúchos, a verba orçamentária para a construção da primeira etapa do Centro Cultural Terreira da Tribo.