A arte de transformar a realidade em poesia | Sebastião Milaré

No barco, sobre as Águas do Guaíba, afastando da Ilha do presídio e vendo as luzes de Porto Alegre às margens, tive a sensação de ver o passo derradeiro de um ritual sagrado. O que vivenciei na Ilha do presídio, ou Ilha das Pedras Brancas, tinha natureza própria ao ato litúrgico, mas era ato teatral. Teatro na acepção da arte que atualiza símbolos no Imaginário do espectador. E liturgia.

Não há contradição, pois no ato litúrgico o oficiante atualiza símbolos no imaginário dos fiéis. E foi isso que vivenciei naquela noite, caminhando pelas ribanceiras escuras, cheias de buracos e pedras, atrás de imagens que conduziam a inesperados ambientes, como as ruínas do antigo presídio ou a uma espécie de jardim de estátuas. Atores e atrizes surgiam da vegetação ou das trevas como gnomos. Ou sacerdotes de mítica seita, em celebração.




E o ritual, animado por cenas evocativas, assumidamente poéticas em atrito com as outras mais definidas e realistas, só terminaria no momento em que o barco apo…

Medeia Vozes – Celebração e resistência no extremo sul do Ceará!

A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz que desde o início do mês está na região do Cariri, se prepara para estrear nesta quarta feira (12/10) o espetáculo mais premiado na história do teatro gaúcho, Medeia Vozes. 

Na encenação da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz o mito de Medeia é reinventado. Medeia livra-se da imagem de infanticida e aparece representada em outros termos: trata-se da mulher que ousou desafiar a política estabelecida, foi punida por seu senso de independência e liberdade e banida da cidade por saber de crimes que não deviam ser revelados. A base para a criação de Medeia Vozes é o romance homônimo da alemã Christa Wolf (1929-2011). Em suas investigações, a escritora bebeu em outros estudos da arqueologia, mitologia e sociologia. Retornou às bases do matriarcado primitivo e da fundação das sociedades. Wolf tomou uma versão antiga e desconhecida do mito para afirmar Medeia como uma mulher vítima dos valores e das necessidades do patriarcado, que não cometeu nenhum dos crimes de que a tragédia de Eurípides a acusa. 

Mais informações no link: 

Compartilhamos abaixo um pouco do processo desta epopeia coletiva, no Centro Cultural RFFSA - Crato. 

























 

Este Projeto foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2015/2016. As atividades contam com o apoio da Universidade Regional do Cariri, do SESC Crato e da Secretaria de Cultura CRATO – CE.

Serviço:
O que: Espetáculo Medeia Vozes da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
Onde: Centro Cultural RFFSA (Rua Ratisbona, 189 - CRATO)  
Quando: Dias e horários de Medeia Vozes:
Dia 12 de outubro, às 19h30
Dias 13, 14 e 15 de outubro, às 0h
Dia 16 de outubro, às 19h30
Dias 19, 20, 21, 22 e 23 de outubro, às 19h30
Classificação indicativa: 16 anos
Entrada Franca. As senhas serão distribuídas 30 minutos antes do espetáculo.