UBU TROPICAL!

UBU REI DE ALFRED JARRY - TRAD. FERREIRA GULLAR Ói Nóis ConVIDA   💥💥💥💥💥💥 OFICINA PRESENCIAL NA TERREIRA DA TRIBO 💥💥💥💥💥💥 Essa vai pra todes que vem perguntando sobre as oficinas da Terreira. A boa nova é que faremos duas oficinas ainda este mês. Para quem ainda não está sabendo, neste momento o grupo começa a se debruçar sobre nova pesquisa com o intento de criar um UBU TROPICAL. A partir da personagem Pai Ubu, icônica para todo o teatro ocidental que influenciou as vanguardas em todas as partes do mundo, o grupo visa criar um estudo público do teatro de Alfred Jarry e do Tropicalismo.  Ainda no "Ciclo I: Estudos", iremos oferecer duas oficinas de compartilhamento que acontecerão nos dias 26 e 28 de outubro, das 19 às 22H na Terreira da Tribo. Dia 26 o mote será a personagem PAI UBU e dia 28 o TROPICALSIMO. Atenção para os detalhes. 👇🏼👇🏼👇🏼 🔥serão oferecidas 12 vagas para cada oficina. As oficinas serão gratuitas e independentes uma da outra.  Portanto, preci

"A Mais Valia Vai Acabar seu Edgar" reestreia neste domingo na Redenção!

Teatro de Rua!

No próximo domingo, 26 de março, às 16 horas, no parque da redenção (PRÓXIMO AO COLÉGIO MILITAR), a Oficina de Teatro de Rua - Arte e Política, da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo reestreia o exercício cênico “A Mais Valia Vai Acabar seu Edgar”. 


O exercício cênico é uma livre adaptação da peça escrita por Odulvado Vianna Filho, em 1960, “A Mais-Valia Vai Acabar, Seu Edgar!”. O texto apresenta de forma didática e cômica nosso sistema econômico do subdesenvolvimento trazendo para cena “personagens tipos” representando categorias sociais como Os Desgraçados-D1, D2, D3, D4, que são os operários, Os Capitalistas- C1, C2, C3, que são os patrões, personagens que sustentam o sistema como os Economistas, os Feirantes, O Vendedor, e os que também são oprimidos por ele como “Os Barbeiros” e “Anitinhazinha”, entre outros.


No desenrolar, os Desgraçados passam a questionar-se sobre sua situação de explorado e saem em busca de respostas e soluções para melhorar sua condição. Os Capitalistas, através de mentiras e trapaças tentam enganar os desgraçados, usando artifícios apelativos para desvirtuá-los e convencê-los que a felicidade depende deles serem completamente subjugados ao trabalho. Na recusa de submeter-se D4 continua investigando e acaba por descobrir por meio da “teoria da mais-valia” os motivos de serem tão miseráveis enquanto os capitalistas tem tudo o que eles constroem. Isso possibilitará a expansão da consciência dos operários, a organização/mobilização da classe e sua emancipação.

Fotos: Paula Carvalho
O grupo incorpora em sua montagem- nos elementos cênicos, músicas e falas- referência de acontecimentos políticos atuais, buscando contextualizar a nossa realidade na intenção de estimular a reflexão crítica e a atitude contestadora.
Construída forma coletiva, a encenação conta com a coordenação de Paulo Flores e no elenco os atuadores: Aline Ferraz, Arthur Haag, Daniel Steil, Daviana Maite Suárez, Gabriel Salcedo Botelho, Hariagi Borba Nunes, Helen Meieles Sierra, Jana Alichala Faias, Letícia Virtuoso, Lucas Gheller, Mayura Matos, Mariana Maciel Stedele e Tiana Godinho de Azevedo.

A Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo oferece anualmente, de forma aberta e gratuita, oficinas de iniciação teatral, pesquisa de linguagem, formação e treinamento de atores.