DUAS CARTAS PARA MEYERHOLD

  Carta de Henrique Saidel   Fotos de Eugênio Barboza, Lucas Gheller e Pedro Isaias Lucas Porto Alegre, inverno de 2020 Querido Meyerhold, Escrevo esta carta como quem escreve algo de muito importante, como quem escreve algo que lhe causa um tanto de medo e hesitação, como alguém que deseja escrever coisas bonitas, coisas inesquecíveis, inteligentes, coisas revolucionárias, coisas que estejam à altura da tua arte, do teu teatro, da tua vida. Escrevo esta carta depois de ter escrito “Querido Meyerhold”, ali no topo da página, há vários dias e depois de ter ficado vários dias sem escrever mais nada, apenas olhando a página em branco e pensando em todas as coisas bonitas, inesquecíveis, inteligentes e revolucionárias que eu poderia dizer para você e a teu respeito. Escrevo esta carta mais de um ano depois de ter visto (duas vezes) a peça que o Ói Nóis Aqui Traveiz fez com você no título e como personagem, e mais de dezenove ou vinte anos depois de te ler pela primeira v

A Terreira da Tribo segue aberta há 33 anos em Porto Alegre!

O espaço “Terreira da Tribo”, sede do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, Centro de Experimentação e Pesquisa Cênica e Escola de Teatro Popular está completando neste  14 de julho, 33 anos de existência.

Um salve a este espaço que acolhe os nossos corpos, serve de embrião para os nossos sonhos e mesmo com tantas dificuldades, segue com suas portas abertas há mais de três décadas, realizando a sua arte pública, na luta constante pela democratização do acesso a arte.
Seguimos.  Em movimento, sempre!

Evoé!



"Todas todas todas
Utopias Possíveis
Tudo o que se imaginar
Que quebre este sistema
Que faça mais jorrar do que pingar"!