A arte de transformar a realidade em poesia | Sebastião Milaré

No barco, sobre as Águas do Guaíba, afastando da Ilha do presídio e vendo as luzes de Porto Alegre às margens, tive a sensação de ver o passo derradeiro de um ritual sagrado. O que vivenciei na Ilha do presídio, ou Ilha das Pedras Brancas, tinha natureza própria ao ato litúrgico, mas era ato teatral. Teatro na acepção da arte que atualiza símbolos no Imaginário do espectador. E liturgia.

Não há contradição, pois no ato litúrgico o oficiante atualiza símbolos no imaginário dos fiéis. E foi isso que vivenciei naquela noite, caminhando pelas ribanceiras escuras, cheias de buracos e pedras, atrás de imagens que conduziam a inesperados ambientes, como as ruínas do antigo presídio ou a uma espécie de jardim de estátuas. Atores e atrizes surgiam da vegetação ou das trevas como gnomos. Ou sacerdotes de mítica seita, em celebração.




E o ritual, animado por cenas evocativas, assumidamente poéticas em atrito com as outras mais definidas e realistas, só terminaria no momento em que o barco apo…

A Desmontagem “Evocando os Mortos Poéticas da Experiência” vai girar pelo Sul!!!

A circulação de Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência pelo Rio Grande do Sul terá início nos dias 14, 15 e 16 de dezembro no Espaço de Residência Artística Vale Arvoredo em  Morro Reuter.

Nos dias 14, 15 e 16 de dezembro o Espaço de Residência Artística Vale Arvoredo receberá o projeto Desmontagem “Evocando os Mortos Poéticas da Experiência”, que prevê a apresentação da Desmontagem da atuadora que há mais de 20 anos desenvolve sua pesquisa na Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz – grupo que completa 40 anos de atuação, de um teatro de estética singular.


“Desmontagem” é um conceito relativamente novo no âmbito das artes cênicas, constitui uma análise e desconstrução do próprio trabalho artístico e, ao mesmo tempo, é obra de arte. Tânia Farias é uma das pioneiras dessa pesquisa inovadora no Brasil e tem sido responsável pela disseminação dessa investigação do trabalho de ator em todo o país. Em dezembro deste ano a circulação da Desmontagem “Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” terá seu início no Rio Grande do Sul, e a primeira cidade contemplada será Morro Reuter. A apresentação acontecerá na Comuna do Arvoredo, no dia 16 de dezembro às 20h com entrada franca.

“Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência” refaz o caminho da atriz na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea. Esse trabalho constitui um olhar sobre as discussões de gênero, abordando a violência contra a mulher em suas variantes, questões que passaram a ocupar centralmente o trabalho de criação do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz. Ao seguir a linha de investigação sobre teatro ritual de origem artaudiana e performance contemporânea, a desmontagem de Tânia Farias propõe um mergulho num fazer teatral onde o trabalho autoral da atriz condensa um ato real com um ato simbólico, provocando experiências que dissolvam os limites entre arte e vida e ao mesmo tempo potencializem a reflexão e o autoconhecimento. 

Logo após a apresentação haverá um bate-papo sobre o processo de criação com a atriz Tânia Farias. O debate aborda as questões de gênero no teatro contemporâneo, assim como as questões éticas e estéticas que compõem a formação do ator e os processos de criação no teatro de grupo. 

Nos dias 14, 15 e 16 de dezembro Morro Reuter também receberá a “Imersão e Vivência com o Ói Nóis Aqui Traveiz”, que consiste em um encontro coordenado pela atuadora, que investiga o movimento e a voz para a ampliação do corpo do ator e a ocupação do espaço teatral e urbano. As inscrições serão mediante carta de intenção. Todas as atividades serão gratuitas e para o público maior de 16 anos. 

Outras sete cidades do Rio Grande do Sul receberão as atividades: Rosário do Sul, Santana do Livramento, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Gramado, Caxias do Sul e Viamão. Em cada uma das cidades contempladas será realizada uma apresentação da Desmontagem “Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” e um bate-papo sobre o processo de criação com a atriz. Todas as atividades serão gratuitas e abertas. 

Este projeto é uma produção da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (Pró-Cultura RS FAC), Lei n° 13.490/10. Ao circular por oito cidades gaúchas, ele pretende disseminar essa pesquisa desenvolvida no Rio Grande do Sul, aproximar as cidades do estado através da ação cultural e propiciar um espaço de reflexão e debate sobre a produção do teatro de grupo brasileiro e questões sociais e políticas. 

Confira a programação completa abaixo:

APRESENTAÇÃO 

16 de dezembro
20h - Desmontagem “Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência” com Tânia Farias
no Espaço de Residência Artística Vale Arvoredo - Morro Reuter

Expondo os processos de criação de diferentes personagens, criadas entre 1999 e 2011, a atriz Tânia Farias mostra quanto as suas vivências pessoais e de seu grupo, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, atravessam os mecanismos de criação. Por meio da ativação da memória corporal, a atriz faz surgir e desaparecer as personagens, realizando uma espécie de ritual de evocação de seus mortos para compreensão dos desafios de fazer teatro nos dias de hoje. A performance constitui um olhar sobre as discussões de gênero, abordando a violência contra a mulher em suas variantes, e também sobre a importância do autoconhecimento no processo criativo.

OFICINA

14, 15 e 16 de dezembro
“Imersão e Vivência com o Ói Nóis Aqui Traveiz”
no Espaço de Residência Artística Vale Arvoredo - Morro Reuter

• Inscrições para imersão serão realizadas nos dias 11 e 12 de dezembro e devem ser feitas através do e-mail terreira.oinois@gmail.com, com o envio de carta de intenção (a partir de 16 anos).

Sobre o Espaço de Residência Artística Vale Arvoredo: 
www.valearvoredo.com.br

Informações para a imprensa:

Tânia Farias 

(51) 3028.8051 e 99999.4570 / www.oinoisaquitraveiz.com.br