SANTO/AMARGO

Quase todo mundo conhece a expressão de Marx: “é preciso mudar o mundo e não interpretá-lo”. Hélio Oiticica vislumbrou uma outra direção: “é preciso que o mundo seja mundo do homem e não mundo do mundo”. A encenação de O Amargo Santo da Purificação, novo trabalho de rua criado pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, de Porto Alegre, segue essa mesma vereda, trazendo à agenda um tema – a transformação do mundo – e uma personagem – Carlos Marighella – bem pouco convencionais. A realização, estreada em setembro de 2008, insere-se nas manifestações que recordam os quarenta anos de morte do líder revolucionário brasileiro. Dado o contexto, teríamos todos os elementos para mais uma peça de agitação dos oprimidos, mais um exercício para a retórica coletivista, mais uma encenação épica erigida sobre chavões. Não é o que ocorre. A primeira grande aventura do Ói Nóis foi a de privilegiar os poemas escritos pelo revolucionário e não seus discursos ou textos de militância. O material dramátic…

SELECIONADOS PARA OFICINA DE TEATRO RITUAL


1. Arthur Loureiro Pereira de Souza
2. Claudia Severo
3.Jonathan Oliveira Ferreira
4. Liana Alice
5. Lucas Gheller Rocha
6. Maíris Fernandes de Souza
7. Marcio Leandro de Lima Vicente
8. Mariana Maciel Stedele
9. Rafael Torres Fernandes
10. Raphael Costa Santos
11. Raquel Amsberg de Almeida
12. Rochelle Luiza da Silveira
13. Rogério Bertoldo Trindade Silva
14. Suelem Lopes de Freitas
15. Tiana Godinho de Azevedo

O primeiro encontro da Oficina de Teatro Ritual será no dia 5 de dezembro de 2017 (próxima terça-feira), às 9 horas na Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186).
OBS: Levar roupa confortável para trabalho físico.