MOSTRA ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ: JOGOS DE APRENDIZAGEM

Nesta segunda e terça-feira, dias 16 e 17 de dezembro, às 20h, acontece a “Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: Jogos de Aprendizagem/2019” na Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186), com entrada franca. A “Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: Jogos de Aprendizagem/2019” terá a apresentação dos exercícios cênicos criados na ação Teatro Como Instrumento de Discussão Social da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo, reconhecida como Ponto de Cultura. A Mostra apresentará o processo de criação das Oficinas dos bairros São Geraldo e Restinga e da cidade de Canoas.
CAMILO: um exercício cênico sobre a rebeldia e o amor eficaz Co-fundador da primeira faculdade de sociologia da América Latina, Camilo Torres foi um célebre professor universitário, sacerdote, político, rebelde e insurgente. Em 2016 o grupo Teatro La Candelaria da Colômbia estreou essa obra de criação coletiva em rememoração aos cinquenta anos da morte de Camilo, cujo corpo continua desaparecido. Uma das razões que impulsou o grupo col…

Tribo internacional!

Compartilhamos abaixo duas publicações internacionais que abordam diferentes aspectos do trabalho da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. A primeira é um artigo publicado na Revista The Drama Review, uma revista acadêmica da cidade de Nova York que foi fundada em 1955 e tem como foco o estudo sobre a performance nos seus contextos sociais, econômicos, estéticos e políticos.  



A segunda publicação é o livro “Brazilian Collaborative Theater: Interviews with Directors, Performers and Choreographers Kindle Edition” de Aleksandar Dundjerović  e Luiz Fernando Ramos que reúne 15 entrevistas com diversos pesquisadores, atores e diretores entre eles Paulo Flores (Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz), Zé Celso (Teatro Oficina), Antunes Filho, Gerald Thomas entre outros. Os entrevistados abordam reflexões sobre o processo de teatro colaborativo e descrevem um ambiente criativo coletivo em que os profissionais estão preocupados com questões fundamentais sobre contextos sociais, culturais e artísticos em que as produções são encenadas e o clima interdisciplinar que predominou desde o início da década de 1980.