SELECIONADOS I LABORATÓRIO ABERTO COM A TRIBO DE ATUADORES OÍ NÓIS AQUI TRAVEIZ

Ana Rafaely dos Santos Teixeira Bruna Moreira da Silva Bruno Mros Camila Januário de Lima Charlotte Dafol Cristian Lampert David Soares Ouriques Diego Carneiro Eduarda Saraiva Eduardo Spieler Fayola Ferreira Gabriel Coupe Guilherme Paiffer Pelodan Gustavo Moreira Alves Hélio Roberto Oliveira da Silva Iarima Castro Alves Cardoso Janaína Baladão de Aguiar de Azevedo Ketelin Abbady Ketelyn Scrittori Liana Alice Márcio Bueno Dias Matheus Ferreira Barcellos Maria Inês Falcão Natalia Meneguzzi Nicolle Machado Pâmela Fogaça Lopes Raquel Ramos Raul Ribeiro Bezerra Vivian Gabriele Schmitz Samuel de Moraes Pretto

O selecionado precisa confirmar a vaga até no máximo dia 28 de junho, ou sua vaga será disponibilizada para um suplente.
SUPLENTES:
Jeferson Porto Ghenes Raíssa Tonial Raissa Tatiane S. Pereira Fernanda Copatti Tamires Mora Jules Renan Dutra Bemfica

Como informado no material de divulgação é necessário que o selecionado tenha disponibilidade para acompanhar todo o programa (Ofic…

Tribo internacional!

Compartilhamos abaixo duas publicações internacionais que abordam diferentes aspectos do trabalho da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. A primeira é um artigo publicado na Revista The Drama Review, uma revista acadêmica da cidade de Nova York que foi fundada em 1955 e tem como foco o estudo sobre a performance nos seus contextos sociais, econômicos, estéticos e políticos.  



A segunda publicação é o livro “Brazilian Collaborative Theater: Interviews with Directors, Performers and Choreographers Kindle Edition” de Aleksandar Dundjerović  e Luiz Fernando Ramos que reúne 15 entrevistas com diversos pesquisadores, atores e diretores entre eles Paulo Flores (Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz), Zé Celso (Teatro Oficina), Antunes Filho, Gerald Thomas entre outros. Os entrevistados abordam reflexões sobre o processo de teatro colaborativo e descrevem um ambiente criativo coletivo em que os profissionais estão preocupados com questões fundamentais sobre contextos sociais, culturais e artísticos em que as produções são encenadas e o clima interdisciplinar que predominou desde o início da década de 1980.