A Visita do Presidenciável

Claudio Heemann (Zero Hora, 18 de dezembro de 1984) Foi em 1978 que o grupo “Ói Nóis Aqui Traveiz” surgiu num espaço alternativo na Rua Ramiro Barcellos. Pela primeira vez, na história do teatro local, Porto Alegre via experimentação anárquica, contestando, de forma radical, todos os valores burgueses. Era uma proposta revolucionária, de forte conteúdo político. A ruptura com as convenções cênicas do teatro tradicional era procurada através de estilização delirante e onírica. O espetáculo transformava-se num ritual insólito, envolvendo os espectadores. Nudez e agressão ao público faziam parte do tratamento de choque que o grupo utilizou na quebra dos moldes consagrados. O grupo logo passou a atuar nas ruas e interferir espetáculo a dentro nas encenações em cartaz na cidade. Algo como uma guerrilha urbana, o “Ói Nóis Aqui Traveiz” não era apenas um teatro de vanguarda, Quixotescamente repudiava toda a ordem político-social vigente. Era uma filosofia de vida e de ação que se derra

A Desmontagem “Evocando os Mortos Poéticas da Experiência” finaliza a circulação pelo RS!!!

A circulação de Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência pelo Rio Grande do Sul finaliza com apresentação em Porto Alegre no dia 28 de agosto às 20h Teatro de Arena


Foto Pedro Isaias Lucas


A atuadora Tânia Farias da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz finaliza, em Porto Alegre, a circulação da Desmontagem “Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência”, que passou por diversas cidades do Rio Grande do Sul.

Desmontagem” é um conceito relativamente novo no âmbito das artes cênicas, constitui uma análise e desconstrução do próprio trabalho artístico e, ao mesmo tempo, é obra de arte. Tânia Farias é uma das pioneiras dessa pesquisa inovadora no Brasil e tem sido responsável pela disseminação dessa investigação do trabalho de ator em todo o país.

Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência” refaz o caminho da atriz na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea. Esse trabalho constitui um olhar sobre as discussões de gênero, abordando a violência contra a mulher em suas variantes, questões que passaram a ocupar centralmente o trabalho de criação do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz. Ao seguir a linha de investigação sobre teatro ritual de origem artaudiana e performance contemporânea, a desmontagem de Tânia Farias propõe um mergulho num fazer teatral onde o trabalho autoral da atriz condensa um ato real com um ato simbólico, provocando experiências que dissolvam os limites entre arte e vida e ao mesmo tempo potencializem a reflexão e o autoconhecimento.

Foto Pedro Isaias Lucas
 

A Circulação RS iniciou em dezembro de 2017 e a primeira cidade contemplada foi Morro Reuter, onde também foi realizada a “Imersão e Vivência com o Ói Nóis Aqui Traveiz”. As outras cidades que fizeram parte do circuito foram Caxias do Sul, Gramado, Viamão, Pelotas, Rosário do Sul, Santa Maria e Alegrete. Este projeto é uma produção da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (Pró-Cultura RS FAC), Lei n° 13.490/10. Ao circular por oito cidades gaúchas, ele pretende disseminar essa pesquisa desenvolvida no Rio Grande do Sul, aproximar as cidades do estado através da ação cultural e propiciar um espaço de reflexão e debate sobre a produção do teatro de grupo brasileiro e questões sociais e políticas.


Sobre o projeto realizado: https://www.youtube.com/watch?v=nZ1t1l0Cd50

Desmontagem - Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência
Data: 28 de agosto
Horário: 20h
Local: Teatro de Arena (Av. Borges de Medeiros, 220 – Centro – Porto Alegre)
Entrada Franca – distribuição de entradas 30min antes do espetáculo
Mais em: www.oinoisaquitraveiz.com.br / https://www.facebook.com/oinoisaquitraveiz2/

Informações para a imprensa:
Tânia Farias - (51) 3028.8051 e 99999.4570