TERREIRA DA TRIBO 37 ANOS DE (R)EXISTÊNCIA

Artigo publicado no Correio do Povo em 11 de setembro de 2021. Fotos de Pedro Isaias Lucas.     No dia 14 de julho de 1984 a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz abria as suas portas para o público. Com um show de rock-punk que reuniu as bandas Replicantes e Urubu Rei, entre outras. Logo em seguida o Ói Nóis Aqui Traveiz encenou na nova casa “A Visita do Presidenciável ou Os Morcegos estão Comendo os Abacates Maduros”, uma parábola sobre o momento político que o Brasil vivia, com a saída dos militares de cena e a entrada de um governo civil. E anunciava para toda cidade “...todas as pessoas gostam de cantar, dançar, representar, pintar, fotografar. Qualquer pessoa é capaz de criar e a Terreira da Tribo está aí para isso”. E nesses 37 anos de atividades a Terreira da Tribo abrigou as mais diversas manifestações culturais como espetáculos de teatro, shows musicais, ciclos de filmes e vídeos, seminários, debates, performances e celebrações. Hoje a Terreira é reco

'A função da Arte é soltar um grito de alarme, bradar sua recusa da barbárie e despertar a consciência do homem em face do sofrimento.' (Gérard Abensour)

 TEATRO DE RUA

O teatro de rua não busca a complacência dos inimigos da arte, busca sim o afeto e o respaldo das pessoas que não tem acesso aos supermercados culturais. O teatro que nasce e cresce ao ar livre está ligado às necessidades mais fundamentais dos que perderam a sua identidade como indivíduos e como um povo no naufrágio de fumaça, ruídos e concreto armado das grandes metrópoles, que delatam a barbárie de nossos tempos. O teatro de rua é algo assim como uma fonte pródiga e coletiva na aridez traçada por semáforos, imposições, esquinas e solidões. E um espetáculo assim é como uma zona franca, onde persistem as cores, a música, os corpos, as palavras, as cumplicidades e a esperança. Então nós, atores e atrizes ambulantes, queremos convidá-los para que se libertem da indiferença e da tristeza, para que venham compartilhar conosco, pelo direito à arte e à vida.”

(Extraído do Manifesto do Encontro Internacional de Teatro de Rua, em Bogotá.)







Fotos dos Espetáculos de Rua: Deus ajuda os Bão, A Saga de Canudos, Caliban, O Amargo Santo da Purificação e A Exceção e a Regra - Cláudio Etges, Fabiano Ávila, Pedro Lucas, Rafael Nino e Zé Inácio.