TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 19]

“Se Não Tem Pão, Comam Bolo!” tem por referência a célebre frase da rainha da França, Maria Antonieta,quando no princípio da Revolução Francesa, pressionada em seu próprio palácio pelo povo que pedia pão, pateticamente perguntou por que não comiam brioches. Encenação popular, esta fábula política recorre ao fato histórico para falar de problemas cotidianos que afligem a maioria dos brasileiros: a fome, a opressão, os desmandos do poder e a corrupção dos políticos. Os personagens são saltimbancos contadores de histórias, que de uma forma satírica e divertida cantam para o povo, nas ruas, o que a sociedade burguesa procura esconder: a luta de classes. 
    “SE NÃO TEM PÃO, COMAM BOLO!” Roteiro e direção : criação coletiva Figurinos : Arlete Cunha Adereços : Zau Figueiredo Música : Rogério Lauda Elenco : Arlete Cunha, Kike Barbosa, Rogério Lauda e Sandra Possani Intérprete em substituição : Vera Parenza Estreia : 14 de fevereiro de 1993 (Espetáculo de rua) TERREIRA DA TRIBO EU APOIO! Você

OFICINA DE TEATRO LIVRE NA TERREIRA DA TRIBO


Neste sábado, dia 19 de janeiro, às 14 horas, a Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo retoma a sua Oficina de Teatro Livre. A Oficina de Teatro Livre é aberta e gratuita a todos interessados a partir dos 15 anos. Inscrições no horário e local da Oficina. A Terreira da Tribo fica na rua Santos Dumont 1186. Informações pelo fone (51) 3028-1358  e pelo e-mail terreira.oinois@gmail.com .

A Oficina de Teatro Livre tem como proposta a iniciação teatral a partir de jogos dramáticos, expressão corporal e improvisações.  Abre espaço para sensibilização e experiência do fazer teatral, apostando no teatro como instrumento de indagação e conhecimento de si mesmo e do mundo, assim como veículo de formação, informação e transformação social. Se desenvolve durante todo o ano sem interrupções, visando estimular o interesse pelo teatro e busca a descolonização corporal do oficinando.

A Terreira da Tribo acredita na importância da função social do artista, e pretende que essa formação favoreça a emergência do artista competente não apenas no seu ofício, mas também preocupado com o seu desempenho como cidadão. A Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo dentro da sua proposta de trabalho realiza anualmente seminários, ciclos de debates e oficinas de iniciação teatral, formação, pesquisa de linguagem e treinamento do ator.