TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 19]

“Se Não Tem Pão, Comam Bolo!” tem por referência a célebre frase da rainha da França, Maria Antonieta,quando no princípio da Revolução Francesa, pressionada em seu próprio palácio pelo povo que pedia pão, pateticamente perguntou por que não comiam brioches. Encenação popular, esta fábula política recorre ao fato histórico para falar de problemas cotidianos que afligem a maioria dos brasileiros: a fome, a opressão, os desmandos do poder e a corrupção dos políticos. Os personagens são saltimbancos contadores de histórias, que de uma forma satírica e divertida cantam para o povo, nas ruas, o que a sociedade burguesa procura esconder: a luta de classes. 
    “SE NÃO TEM PÃO, COMAM BOLO!” Roteiro e direção : criação coletiva Figurinos : Arlete Cunha Adereços : Zau Figueiredo Música : Rogério Lauda Elenco : Arlete Cunha, Kike Barbosa, Rogério Lauda e Sandra Possani Intérprete em substituição : Vera Parenza Estreia : 14 de fevereiro de 1993 (Espetáculo de rua) TERREIRA DA TRIBO EU APOIO! Você

ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ VOLTA A PORTUGAL

A Desmontagem Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência da atuadora Tânia Farias vai participar da edição zero do Tanto Mar – Festival Internacional de Artes Performativas de Loulé.

Foto: Pedro Isaias Lucas


Depois de passar por diversos estados e cidades brasileiras, a atuadora Tânia Farias da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz é convidada a participar com a sua desmontagem Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência da edição zero do Tanto Mar – Festival Internacional de Artes Performativas de Loulé, em Portugal. Festival que procura juntar artistas da língua portuguesa. Seis anos após a participação de Tribo de Atuadores no ano do Brasil em Portugal, apresentando o espetáculo de rua O Amargo Santo da Purificação e seis anos após a estreia da Desmontagem. A apresentação ocorrerá dia 9 de março.

“Desmontagem” é um conceito relativamente novo no âmbito das artes cênicas, constitui uma análise e desconstrução do próprio trabalho artístico e, ao mesmo tempo, é obra de arte. Tânia Farias é uma das pioneiras dessa pesquisa inovadora no Brasil e tem sido responsável pela disseminação dessa investigação do trabalho de ator em todo o país.

“Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência” refaz o caminho da atriz na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea. Esse trabalho constitui um olhar sobre as discussões de gênero, abordando a violência contra a mulher em suas variantes, questões que passaram a ocupar centralmente o trabalho de criação do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz. Ao seguir a linha de investigação sobre teatro ritual de origem artaudiana e performance contemporânea, a desmontagem de Tânia Farias propõe um mergulho num fazer teatral onde o trabalho autoral da atriz condensa um ato real com um ato simbólico, provocando experiências que dissolvam os limites entre arte e vida e ao mesmo tempo potencializem a reflexão e o autoconhecimento.

As apresentações serão, dia 8/3 em Faro no Teatro Lethes (um teatro incrível) um dos 5 mais antigos da Europa. E dia 9/03 em Loulé no Cine Teatro.




Desmontagem - Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência