Santos Amargos

Paulo Bio Toledo - (Cavalo Louco Revista de teatro, dezembro de 2009)
[...] O dom de Despertar no passado as centelhas da esperança é um privilégio exclusivo do Historiador convencido de que também os mortos não estarão em segurança se o inimigo vencer. E esse inimigo não tem cessado de vencer.
Walter Benjamin Sobre o conceito da história
Necrofilia é o amor ao futuro Heiner Müller

Fotos de Pedro Isaias Lucas 
Anjos
A famosa metáfora do anjo da história do pensador alemão Walter Benjamin – interpretação poética da pintura Angelus Novus, de Paul Klee – retrata um anjo que observa o passado amontoado de entulho e destroços da civilização, mas não pode parar, é incessamente puxado ao futuro pelos ventos do Progresso.
Heiner Müller reescreve a imagem. Seu anjo olha a frente. Observa o futuro “represado, esmagando seus olhos”, mas a pilha de destroços é mais rápida que ele e o comprimento no instante: entre o passado e o futuro.Imobilizado, esmagado. Até que: “um renovado rufar de pod…

“VIRAL” NA TERREIRA DA TRIBO DIA 30 DE ABRIL – ÀS 20 HORAS ENTRADA FRANCA

 

A dramaturgia original de "Viral", escrita por Daniel Colin, apresenta cenas avulsas sobre duas famílias que vão, pouco a pouco, se entrecruzando na narrativa do espetáculo. O texto é verborrágico, irônico, mordaz e perverso, cujas ideias - do dramaturgo e das personagens - alastram-se e disseminam-se como vírus a contaminar a quem as escuta. Daniel Colin elabora a dramaturgia original e interpreta mais de 10 personagens neste trabalho solo, com direção do próprio em parceria com Denis Gosch.



 Ficha Técnica

Direção e argumento de texto: Daniel Colin e Denis Gosch
Dramaturgia: Daniel Colin
Supervisão de dramaturgia: Felipe Vieira de Galisteo
Assistente de direção: Juliana Kersting
Atuação: Daniel Colin
Iluminação: Claudia de Bem
Video design: Thais Fernandes
Figurino: Daniel Colin
Sonoplastia: Daniel Colin e Denis Gosch
Design gráfico: Ricardo Zigomático
Fotos: Claudio Etges
Produção: Daniel Colin
Realização: Teatro Sarcáustico

Saiba Mais Sobre o Teatro Sarcáustico
O Teatro Sarcáustico foi fundado em 2004 por formandos do curso de Artes Cênicas da UFRGS. Nestes 15 anos de trabalho continuado, o grupo desenvolveu uma linguagem e estética próprias, desenvolvidas tanto nos trabalhos profissionais quanto nos projetos pedagógicos ministrados pelos artistas-professores. O Sarcáustico criou espetáculos ousados e impactantes como os sucessos Wonderland e o que M. Jackson encontrou por lá (Prêmios Açorianos e Braskem em Cena de Melhor Espetáculo e Direção, dentre outros) e Breves Entrevistas com Homens Hediondos (Prêmio Braskem em Cena de Melhor Espetáculo). A pesquisa continuada em artes cênicas do grupo vem se especializando através de espetáculos realizados em espaços não-convencionais, com dramaturgias originais e atmosferas performáticas. O repertório do Sarcáustico conta atualmente com cinco espetáculos adultos, dois infantis, um projeto de performances urbanas e um performance audiovisual-transmídia.