DUAS CARTAS PARA MEYERHOLD

  Carta de Henrique Saidel   Fotos de Eugênio Barboza, Lucas Gheller e Pedro Isaias Lucas Porto Alegre, inverno de 2020 Querido Meyerhold, Escrevo esta carta como quem escreve algo de muito importante, como quem escreve algo que lhe causa um tanto de medo e hesitação, como alguém que deseja escrever coisas bonitas, coisas inesquecíveis, inteligentes, coisas revolucionárias, coisas que estejam à altura da tua arte, do teu teatro, da tua vida. Escrevo esta carta depois de ter escrito “Querido Meyerhold”, ali no topo da página, há vários dias e depois de ter ficado vários dias sem escrever mais nada, apenas olhando a página em branco e pensando em todas as coisas bonitas, inesquecíveis, inteligentes e revolucionárias que eu poderia dizer para você e a teu respeito. Escrevo esta carta mais de um ano depois de ter visto (duas vezes) a peça que o Ói Nóis Aqui Traveiz fez com você no título e como personagem, e mais de dezenove ou vinte anos depois de te ler pela primeira v

“VIRAL” NA TERREIRA DA TRIBO DIA 30 DE ABRIL – ÀS 20 HORAS ENTRADA FRANCA

 

A dramaturgia original de "Viral", escrita por Daniel Colin, apresenta cenas avulsas sobre duas famílias que vão, pouco a pouco, se entrecruzando na narrativa do espetáculo. O texto é verborrágico, irônico, mordaz e perverso, cujas ideias - do dramaturgo e das personagens - alastram-se e disseminam-se como vírus a contaminar a quem as escuta. Daniel Colin elabora a dramaturgia original e interpreta mais de 10 personagens neste trabalho solo, com direção do próprio em parceria com Denis Gosch.



 Ficha Técnica

Direção e argumento de texto: Daniel Colin e Denis Gosch
Dramaturgia: Daniel Colin
Supervisão de dramaturgia: Felipe Vieira de Galisteo
Assistente de direção: Juliana Kersting
Atuação: Daniel Colin
Iluminação: Claudia de Bem
Video design: Thais Fernandes
Figurino: Daniel Colin
Sonoplastia: Daniel Colin e Denis Gosch
Design gráfico: Ricardo Zigomático
Fotos: Claudio Etges
Produção: Daniel Colin
Realização: Teatro Sarcáustico

Saiba Mais Sobre o Teatro Sarcáustico
O Teatro Sarcáustico foi fundado em 2004 por formandos do curso de Artes Cênicas da UFRGS. Nestes 15 anos de trabalho continuado, o grupo desenvolveu uma linguagem e estética próprias, desenvolvidas tanto nos trabalhos profissionais quanto nos projetos pedagógicos ministrados pelos artistas-professores. O Sarcáustico criou espetáculos ousados e impactantes como os sucessos Wonderland e o que M. Jackson encontrou por lá (Prêmios Açorianos e Braskem em Cena de Melhor Espetáculo e Direção, dentre outros) e Breves Entrevistas com Homens Hediondos (Prêmio Braskem em Cena de Melhor Espetáculo). A pesquisa continuada em artes cênicas do grupo vem se especializando através de espetáculos realizados em espaços não-convencionais, com dramaturgias originais e atmosferas performáticas. O repertório do Sarcáustico conta atualmente com cinco espetáculos adultos, dois infantis, um projeto de performances urbanas e um performance audiovisual-transmídia.