TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 19]

“Se Não Tem Pão, Comam Bolo!” tem por referência a célebre frase da rainha da França, Maria Antonieta,quando no princípio da Revolução Francesa, pressionada em seu próprio palácio pelo povo que pedia pão, pateticamente perguntou por que não comiam brioches. Encenação popular, esta fábula política recorre ao fato histórico para falar de problemas cotidianos que afligem a maioria dos brasileiros: a fome, a opressão, os desmandos do poder e a corrupção dos políticos. Os personagens são saltimbancos contadores de histórias, que de uma forma satírica e divertida cantam para o povo, nas ruas, o que a sociedade burguesa procura esconder: a luta de classes. 
    “SE NÃO TEM PÃO, COMAM BOLO!” Roteiro e direção : criação coletiva Figurinos : Arlete Cunha Adereços : Zau Figueiredo Música : Rogério Lauda Elenco : Arlete Cunha, Kike Barbosa, Rogério Lauda e Sandra Possani Intérprete em substituição : Vera Parenza Estreia : 14 de fevereiro de 1993 (Espetáculo de rua) TERREIRA DA TRIBO EU APOIO! Você

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O PRIMEIRO LABORATÓRIO ABERTO DA TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ

A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz está com inscrições abertas para o I Laboratório Aberto, que será um trabalho de imersão na poética do grupo. Com oficinas, seminários, apresentações dos espetáculos em repertório, e filmes de outras encenações da Tribo. As inscrições para o I Laboratório Aberto vão até 20 de junho pelo do e-mail terreira.oinois@gmail.com com envio de carta de intenção e currículo do proponente. O Laboratório Aberto faz parte do projeto “Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz – Uma Celebração de 40 anos de Utopia, Paixão e Resistência” que é financiado pelo Governo do Estado – Secretaria da Cultura – Pró-cultura RS LIC, Lei nº 13.490/10, com Patrocínio da Fruki. O projeto tem o apoio da Casa de Cultura Mário Quintana e da Coordenação de Artes Cênicas da Secretaria Municipal de Cultura. Informações pelos telefones (51) 3028-1358 / 99999-4570 e na Terreira da Tribo (Rua Santos Dumont, 1186, Bairro São Geraldo).


 
O Laboratório será dividido em três módulos: Oficina Ator, Presença e Rito (de 1º a 5 /07), Oficina de Teatro Ritual (de 8 a 12/07) e Oficina de Performance Política (de 15 a 19/07). O Laboratório proporcionará aos participantes as experiências com o teatro ritual e o teatro de rua desenvolvidos pela Tribo. Os interessados deverão ter disponibilidade para participar de toda a programação do I Laboratório Aberto com a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. O objetivo do I Laboratório Aberto da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz é difundir a prática e metodologia de criação e treinamento desenvolvida pelo grupo ao longo de 41 anos de atuação e pesquisa. O Ói Nóis criou uma poética própria capaz de mobilizar a mulher e o homem de hoje para refletir sobre questões fundamentais do nosso tempo. A Tribo utiliza práticas e dispositivos próprios, desenvolvidos ao longo de sua trajetória, para disparar suas criações:

- O trabalho de codificação de ações cênicas não cotidianas contribui na elaboração dessa poética, calcada na dissonância, para a criação de personagens e cenas.
- O atrito entre texto (palavra) e a ação (tecido de ações) cria uma região de tensão interessante para construção dessa poética e reelabora a possibilidade de um teatro crítico que não tem no discurso verbal o seu maior potencial de comunicação.
- A cena ritual de origem Artaudiana vai ser a esteira do trabalho de construção de cenas/rituais com os participantes.
- A experiência de abordagem da rua como campo para performance cênica.