TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 19]

“Se Não Tem Pão, Comam Bolo!” tem por referência a célebre frase da rainha da França, Maria Antonieta,quando no princípio da Revolução Francesa, pressionada em seu próprio palácio pelo povo que pedia pão, pateticamente perguntou por que não comiam brioches. Encenação popular, esta fábula política recorre ao fato histórico para falar de problemas cotidianos que afligem a maioria dos brasileiros: a fome, a opressão, os desmandos do poder e a corrupção dos políticos. Os personagens são saltimbancos contadores de histórias, que de uma forma satírica e divertida cantam para o povo, nas ruas, o que a sociedade burguesa procura esconder: a luta de classes. 
    “SE NÃO TEM PÃO, COMAM BOLO!” Roteiro e direção : criação coletiva Figurinos : Arlete Cunha Adereços : Zau Figueiredo Música : Rogério Lauda Elenco : Arlete Cunha, Kike Barbosa, Rogério Lauda e Sandra Possani Intérprete em substituição : Vera Parenza Estreia : 14 de fevereiro de 1993 (Espetáculo de rua) TERREIRA DA TRIBO EU APOIO! Você

TERREIRA DA TRIBO - EU APOIO! Cinema com entrada franca!!


Acesse o evento no Facebook
CINECLUBE DA TERREIRA
ENTRADA FRANCA

Nesta segunda e terça-feira, dias 30 de setembro e 1 de outubro, o Cineclube da Terreira da Tribo exibe dois clássicos do cineasta Glauber Rocha. O cineclube faz parte da programação da Terreira da Tribo – Eu Apoio!





Glauber Rocha (1939-1981), principal expoente do cinema brasileiro, homem do Terceiro Mundo, mas com profundas raízes nacionais, personalidade exuberante e livre, ele enriqueceu o acervo cinematográfico mundial com criações barrocas de imenso conteúdo humano e social. Suas origens emergem do coração da cultura sertaneja do Nordeste e, ao mesmo tempo, da realidade latino-americana contemporânea.


O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (1969)
Segunda, dia 30 de setembro, às 20h
Premiado em Cannes como Melhor Direção, é uma espécie de continuação de Deus e o Diabo na Terra do Sol. Misturando cordel e ópera, essa aventura apresenta o personagem Antônio das Mortes, que recebe a tarefa de eliminar um novo cangaceiro da região. No caminho, ele encontra diversos jagunços e coronéis e se vê cara a cara com o povo do sertão e com as dificuldades enfrentadas pelos sertanejos, eventos que farão Antônio adquirir uma nova perspectiva de vida.





O Leão de Sete Cabeças (1971)
Terça, dia 1 de outubro, às 20h
TERREIRA DA TRIBO - EU APOIO!
Cinema com entrada franca!!, às 20h
Após a exibição, conversa com o atuador Paulo Flores.
O enredo se passa em um país indeterminado da África, no qual o líder negro chamado Zumbi e o guerrilheiro branco Pablo tentam libertar uma nação africana de um governador alemão e seus aliados. Em seu primeiro longa no exílio, Rocha fragmentou a linha narrativa alternando a trama de figuras simbólicas marcadas (colonizadoras e libertárias) com cenas de dança de membros do levante e outras demonstrações culturais.





A Terreira da Tribo - que sempre ocupou prédios privados pagando onerosos alugueis - se encontra num momento dramático para conseguir viabilizar a sua existência. TERREIRA DA TRIBO: EU APOIO! é uma campanha de apoio coletivo e permanente que a Tribo lançou na plataforma virtual da Benfeitoria como forma de manutenção do espaço da Terreira. Colabore para manter vivo esse espaço sagrado de efervescência criativa e resistência cultural que re(existe) há 35 anos na cidade de Porto Alegre. Salve a Terreira da Tribo!