TERREIRA DA TRIBO 37 ANOS DE (R)EXISTÊNCIA

Artigo publicado no Correio do Povo em 11 de setembro de 2021. Fotos de Pedro Isaias Lucas.     No dia 14 de julho de 1984 a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz abria as suas portas para o público. Com um show de rock-punk que reuniu as bandas Replicantes e Urubu Rei, entre outras. Logo em seguida o Ói Nóis Aqui Traveiz encenou na nova casa “A Visita do Presidenciável ou Os Morcegos estão Comendo os Abacates Maduros”, uma parábola sobre o momento político que o Brasil vivia, com a saída dos militares de cena e a entrada de um governo civil. E anunciava para toda cidade “...todas as pessoas gostam de cantar, dançar, representar, pintar, fotografar. Qualquer pessoa é capaz de criar e a Terreira da Tribo está aí para isso”. E nesses 37 anos de atividades a Terreira da Tribo abrigou as mais diversas manifestações culturais como espetáculos de teatro, shows musicais, ciclos de filmes e vídeos, seminários, debates, performances e celebrações. Hoje a Terreira é reco

TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ HOMENAGEADA EM GOIÂNIA

A Mostra Teatral Desaguar traz cultura popular brasileira para o centro do palco. A programação celebra o Grupo Tradicional Goiano de Folia de Santos Reis Capitão Olidio e homenageia os 41 anos de trabalhos cênicos do Grupo Teatral de projeção nacional Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, como inspiradores para a formação dos jovens artistas goianos e seus grupos teatrais. A atuadora Tânia Farias estará presente apresentando a Desmontagem Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência, no dia 30 de outubro, às 19 horas, no Teatro do SESC/Centro, em Goiânia. 



 A Idealizadora e Produtora Executiva do projeto, Silvana Martins (em arte: Silvana D'Lacoc), vê a programação como uma grande oportunidade para que artistas e público resgatem o prazer de entrar em contato com a essência do teatro nacional. "O teatro é um encontro humano entre as diversidades. Idealizar e realizar esse projeto em muitas mãos e sonhos é uma oportunidade ímpar de celebrar as identidades e manifestações culturais populares de nossa região goiana, como a Folia de Reis. É uma honra somar força com o diálogo artístico de outras potências e resistências teatrais do Brasil, como Tânia Farias e a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. Viva a Arte Brasileira! Viva nosso Teatro Brasileiro!", celebra.
Na Desmontagem “Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” a atuadora Tânia Farias revisita os processos de criação de quatro personagens criadas em diferentes momentos, entre 1999 a 2011: a Sophia de 'Viúvas', o Sasportas de 'A Missão', a Kassandra de 'Aos Que Virão Depois de Nós' e a Ofélia de “Hamlet Máquina”. Entre falas e ações a Desmontagem de Tânia Farias propõe um mergulho no fazer teatral onde o trabalho autoral da atriz condensa um ato real com um ato simbólico, provocando experiências que dissolvam os limites entre arte e vida e ao mesmo tempo potencializem a reflexão e o autoconhecimento. Uma desmontagem vai além de uma demonstração técnica; é uma demonstração afetiva do trabalho da atriz/ator. Hoje, no Brasil, a ideia de desmontagem vem sendo debatida, e o Ói Nóis Aqui Traveiz é um dos condutores. “Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência” já circulou por diversas cidades do país e foi perfomatizada em Cuba, na Argentina e Portugal.