Denúncia atualizada de Heiner Muller

Antônio Holfeldt (Jornal do Comércio, 13 de Agosto de 1999) Fotos de Claudio Etges
A estreia de Hamlet Máquina, do dramaturgo alemão contemporâneo Heiner Müller, pelo grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, é um acontecimento verdadeiramente ambíguo. A ambiguidade nasce do fato de a montagem desta peça, que consagrou e projetou internacionalmente o dramaturgo da Antiga Alemanha Popular, ser, por certo, uma feliz oportunidade para nosso teatro, mas, por outro lado, comemorando os quinze de localização da Terreira da Tribo, espaço cênico onde o Ói Nóis Aqui Traveiz desenvolve suas pesquisas e interferências na cidade, constitui-se também em seu canto de cisne: ao final de agosto, interrompendo a sua temporada, a Terreira da Tribo fechará suas portas e o Ói Nóis Aqui Traveiz estará na rua, motivado, dentre outras coisas, pela decisão (ambígua) da Prefeitura Municipal de Porto Alegre em se negar a dar qualquer apoio ao grupo.
A ambiguidade é mais significativa, se formos capazes de fazer a correta leitu…

CINESAPA NA TERREIRA DA TRIBO COM ENTRADA FRANCA

Nos dias 4 e 5 de novembro, às 20 horas, com entrada franca, serão exibidos os filmes “O Par Perfeito”, na segunda-feira, e “Mulher Melancia”, na terça-feira, na Terreira da Tribo (rua Santos Dumont, 1186). As exibições fazem parte da campanha TERREIRA DA TRIBO EU APOIO! E tem promoção do CINESAPA. O coletivo CINESAPA nasceu da busca de mulheres lésbicas por mais representatividade e visibilidade dentro da comunidade LGBTQ+, além de um profundo descontentamento com os filmes lésbicos que geralmente chegam até nós. Já criou os eventos como a 1° Mostra CINESAPA e CINESAPA Itinerante.






O Par Perfeito”(Go Fish, Estados Unidos/1994, 87 minutos), de Rosa Troche, é uma comédia romântica independente inspirada nos filmes undergrounds dos anos 60, Max é uma jovem lésbica descolada com dificuldades para encontrar um amor. Até que uma amiga a apresenta a Ely, que é o oposto de Max: mais velha, caseira e deselegante. Em meio à vida cotidiana e o seu grupo de amigas, uma atração surge entre Max e Ely.

Mulher Melancia” (Watermelon Woman, Estados Unidos/1996, 90 minutos), de Cheryl Dunye, conta a história de uma jovem, Cheryl, que trabalha em uma locadora de filmes na Filadélfia com sua amiga Tamara. Logo ela é consumida pela busca de informações por uma atriz chamada "Watermelon Woman" (Mulher Melancia). Durante suas descobertas ela acaba se relacionando com Diana, uma garota branca. “Terreira da Tribo – Eu Apoio!” é uma campanha de apoio coletivo e permanente que a Tribo lançou na plataforma virtual da Benfeitoria como forma de manutenção do espaço da Terreira que completou 35 anos de existência na cidade de Porto Alegre. Mais informações em www.benfeitoria.com/terreiradatribo .





Sobre o CINESAPA


Somos um coletivo de cinema e eventos sobre lesbianidade.

Nossa principal intenção é trazer mais visibilidade sobre filmes/produções lésbicas, principalmente os feitos por outras mulheres também lésbicas

O resultado que buscamos é nos compreendermos enquanto comunidade e aproximar essa conversa para com outras, entender diferentes linguagens que não só as nossas.Achamos que o certo a dizer é que não temos tanto uma resposta exata, mas estamos buscando crescer, aprender e trazer tudo isso para outras que também estão nessa jornada

Nós todas temos um sentimento em igual que foi uma falta muito grande de representatividade, de nos sentirmos parte, até mesmo de ver outras como nós na rua e por todas essas coisas que o coletivo surgiu.

Escolhemos ambos os filmes porque contam histórias de mulheres já assumidas, fugindo da ideia constante que recebemos em filmes da grande mídia - da mulher em um relacionamento hétero que se descobre com uma caminhão e fica aquele sofrimento o filme todo até que terminem juntas - outra razão foi que ambos os filmes abordam temas diversos, tanto dos relacionamentos entre as personagens quanto com um círculo de amigos