ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 2]

    Com um mês de atividades o Teatro Ói Nóis Aqui Traveiz foi interditado pela Secretaria de Segurança. Aí começou uma longa campanha pela reabertura do teatro. O fechamento agravou a situação econômica do grupo e a saída de alguns dos seus integrantes. Para vencer a crise o grupo buscou outros espaços para encenar o seu espetáculo. Também é o momento em que o grupo começou a compartilhar as suas experiências através de uma oficina de teatro. E é principalmente com os jovens desta oficina que criou a montagem de “A Bicicleta do Condenado”, do espanhol Fernando Arrabal: um preTexto para a reVolta do Ói Nóis Aqui Traveiz. Durante o processo de criação integrantes do grupo foram presos em manifestações contra a ditadura. Essa experiência de repressão e violência foi canalizada para a cena. A reabertura do Teatro trouxe para a encenação uma história de opressão e horror, onde duas pessoas tentam sobreviver em um lugar comandado por uma ordem militar. Se no primeiro espetáculo o público fi

EM MAQUINÉ: Violeta Parra - Uma Atuadora! | 29/02



A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz celebra a sua performance Cênico Musical "Violeta Parra - Uma Atuadora!". Apresenta um repertório que mistura o andino com ritmos brasileiros na voz da atuadora Tânia Farias e do violonista e compositor Mário Falcão. Com esse viés mestiço a performance veste as canções deste ícone da arte da América do Sul. Violeta Parra, cantora e violonista desde criança, pesquisou ritmosm danças e canções populares, transformando-se em ponta de lança do movimento da "Nueva Canción" que projetou a música chilena no mundo. Conhecida no Nrasil principalmente pelas composições "Gracias a la vida" e "Volver a los 17", seu legado é inestimável para a música engajada latino-americana.
O coral Arai Hovy (Céu Azul) vai abrir a performance, apresentando músicas e danças do repertório tradicional Mbya Guarani. o coral é anfitrião do espaço, tendo suas raízes na Tekoa Ka'Aguy Porã.