TERREIRA DA TRIBO 37 ANOS DE (R)EXISTÊNCIA

Artigo publicado no Correio do Povo em 11 de setembro de 2021. Fotos de Pedro Isaias Lucas.     No dia 14 de julho de 1984 a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz abria as suas portas para o público. Com um show de rock-punk que reuniu as bandas Replicantes e Urubu Rei, entre outras. Logo em seguida o Ói Nóis Aqui Traveiz encenou na nova casa “A Visita do Presidenciável ou Os Morcegos estão Comendo os Abacates Maduros”, uma parábola sobre o momento político que o Brasil vivia, com a saída dos militares de cena e a entrada de um governo civil. E anunciava para toda cidade “...todas as pessoas gostam de cantar, dançar, representar, pintar, fotografar. Qualquer pessoa é capaz de criar e a Terreira da Tribo está aí para isso”. E nesses 37 anos de atividades a Terreira da Tribo abrigou as mais diversas manifestações culturais como espetáculos de teatro, shows musicais, ciclos de filmes e vídeos, seminários, debates, performances e celebrações. Hoje a Terreira é reco

MOSTRA ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ: JOGOS DE APRENDIZAGEM

Nesta segunda-feira, dia 16 de março acontece na Terreira da Tribo (rua Santos Dumont, 1186) a “Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: Jogos de Aprendizagem/2020”, às 20 horas, com entrada franca, com distribuição de senhas a partir das 19 horas. Nesta etapa serão apresentados os exercícios cênicos “As Alegres Meninas da Rua Quinze”, peça curta de Carlos Carvalho, e “Fragmento de Teatro I”, peça curta de Samuel Beckett. As duas peças mostram a solidão e a incomunicabilidade do ser humano no mundo contemporâneo, vivendo sem esperanças num lugar ilógico, inóspito, lúgubre e vazio. As cenas foram criadas pela Oficina Popular de Teatro da Cidade de Canoas, dentro da ação Teatro Como Instrumento de Discussão Social da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo/Ponto de Cultura. Após a apresentação haverá uma roda de conversa sobre o Teatro de Carlos Carvalho e de Samuel Beckett conduzida pelo atuador Paulo Flores. A “Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: Jogos de Aprendizagem” leva à cena as montagens teatrais realizadas nas diferentes Oficinas da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.