Faca e gesto consequentes

  Antônio Hohlfeldt (Diário do Sul, 22 de dezembro de 1986) Fotos de Isabella Lacerda      Beckett é conhecido por seu niilismo e sua descrença em qualquer valor que ultrapasse a humanidade. Mais do que isso, o grande escritor irlandês desacredita na própria criatura humana, que visualiza como um ser sem caminho e sem lógica, sobrevivendo sem qualquer objetivo na vida, ou, quando os tem, sendo enganado por um falso objetivo (como em “Esperando Godot”, já que o tal Godot, em última análise, jamais virá porque jamais pensou em vir).       No caso de “Fim de Partida”, pode-se dividir a situação dramática em duas abordagens. A mais imediata é exatamente aquela que, em nível de realidade, pode ser desprendida das alusões, nem tão escassas assim, que pontuam todo o texto, talvez um dos primeiros trabalhos literários a abordarem a traumatizante experiência da bomba nuclear dos Estados Unidos em 1945. Pode-se pressupor que há muito aqueles quatro sobrevivem em uma construção quase subterrâ

Lançamento virtual CAVALO LOUCO - Revista de Teatro

Lançamento virtual
CAVALO LOUCO - Revista de Teatro


Sábado, dia 29 de agosto, 22h
Na plataforma ZOOM

 




No próximo sábado, dia 29/08, às 22h, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz vai lançar a 20° edição da CAVALO LOUCO - Revista de Teatro da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. Será pela plataforma Zoom e contará com a participação dos atuadores, colaboradores dessa edição da revista, além de atrações especiais surpresas para essa celebração.

Para garantir entrada na sala, basta enviar e-mail para terreira.oinois@gmail.com solicitando o link (VAGAS LIMITADAS).

A vigésima edição da Cavalo Louco é a primeira versão totalmente digital. É mais uma das ações virtuais que o grupo propõe para este contexto pandêmico. Conta com a colaboração do uruguaio Jorge Arias, com um texto sobre o Tio Vania do Tchekhov, o carioca Sidnei Cruz escreve sobre o artesanato literário de Zé Agrippino de Paula, e a também carioca, Christina Streva, colabora com um estudo sobre o cabaré. Escreve também Yasmin Steil sobre o cruzamento do espetáculo Medeia Vozes do Ói Nóis com o filme de Paradjanov, A Cor da Romã.

Rodrigo Mercadante, da Cia do Tijolo de São Paulo, tece uma homenagem ao mestre argentino Ilo Klugli, fundador do Teatro Ventoforte em São Paulo, um dos grandes nomes da renovação do teatro para crianças, que faleceu recentemente. Temos ainda uma homenagem ao companheiro Júlio Saraiva, nas palavras de Renan Leandro. Na seção Magos do Teatro Contemporâneo, outra homenagem, desta vez ao colombiano Santiago García, um dos criadores do grupo La Candelária de Bogotá, falecido nesse 2020.

Na seção Crítica, temos duas críticas sobre Meierhold, último trabalho da Tribo. Uma tecida pelo crítico teatral e organizador da página Teatro Jornal, Valmir Santos e outra escrita em formas de cartas pelos professores e pesquisadores Henrique Saidel e Caroline Marim.

Na seção Teatro de Grupo em Foco, vamos conhecer um pouco sobre o grupo Sobrevento de São Paulo e o grupo Ueba Produtos Notáveis de Caxias do Sul, em artigos assinados por artistas dos próprios grupos.

A seção Cavalo Louco Especial apresenta um dossiê sobre o programa Cultura Viva, com textos escritos por Alexandre Santini, Leandro Anton e o núcleo de pesquisa editorial da Tribo.

A revista será distribuída gratuitamente e é uma realização da Associação dos Amigos da Terreira da Tribo por meio do projeto Terreira da Tribo - Ponto de Cultura.