MEDEIA: DO MITO ATÉ MEDEIA VOZES | Jorge Arias

Fotos de Pedro Isaías Lucas Medeia é um dos grandes enigmas da literatura ou, talvez, da história. O primeiro enigma é se existiu uma Medeia, real e histórica, uma mulher de carne e ossos, sobre a qual foi construído um mito, uma lenda, como aconteceu com os heróis lendários de Troia, que realizaram grandes, difíceis e impossíveis façanhas, mas tiveram como base alguma realidade, de alguma forma existiram. Alguns aspectos negam o caráter puramente mítico da história: a viagem dos argonautas até a Cólquida na margem oriental do Mar Negro, em busca do velocino de ouro, está de acordo com as expedições comerciais dos gregos; as intrigas do palácio, como o exílio de Medeia em Corinto, têm uma cor de verdade; e, acima de tudo, a apaixonada controvérsia sobre se ela matou ou não seus filhos. Não se discute ou, ao menos, não é comum discutir o que faz ou não faz uma personagem de ficção.     O segundo enigma é o caráter dela. Medeia é neta de Hélio, sacerdotisa de Hécate, feiticeira, brux

Estreia do espetáculo QUASE CORPOS - Episódio 1: A Última Gravação













Versão livre da peça Krapp’s Last Tape (1958), de Samuel Beckett, o espetáculo Quase Corpos - Episódio 1: A Última Gravação mostra o confronto de um homem de 69 anos com o seu passado. Hoje, nada mais é que um decrépito, muito míope, quase surdo e desleixado, que escuta no gravador a fita-registro de trinta anos atrás. Escuta sua própria voz narrar extintas aspirações, lembranças de amores perdidos, a morte da mãe, a esperança não confirmada de êxito comercial literário. Memórias de fracassos, declínio e dissipação. Depois, gravará uma nova fita, como faz todos os anos, no dia do seu aniversário. O presente de Krapp é expressão de vazio, de ausência. O velho Krapp fala pouco e as palavras apagam-se de sua memória. Um homem amargurado, a remoer-se em plena solidão, parece nada ter de relevante a evocar ou perpetuar.




Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 50 min


Ficha Técnica:
Direção: Ói Nóis Aqui Traveiz
Texto: Samuel Beckett
Adaptação: Ói Nóis Aqui Traveiz a partir de Krapp’s Last Tape
Elenco: Paulo Flores
Cenografia: Ói Nóis Aqui Traveiz
Iluminação: Clélio Cardoso
Sonoplastia: Roberto Corbo
Direção de Arte, Figurino e Adereços: Tânia Farias
Direção de Cena e Fotografia: Eugênio Barboza
Operação de câmera: Keter Velho e Lucas Gheller
Produção: Ói Nóis Aqui Traveiz

Fotografias still: Elizabeth Thiel





Estreia do espetáculo
QUASE CORPOS -
Episódio 1: A Última Gravação

no #FestivalPontoDeTeatro do Instituto Ling

Quinta-feira, dia 27 de maio, às 20h.

Para assistir, inscreva-se aqui.
Para participar do bate-papo sobre a peça, inscreva-se aqui.

O projeto Ponto de Teatro, que visa impulsionar a produção de artes cênicas no Rio Grande do Sul, conta com a curadoria de Renato Mendonça, e estreia este ano no ambiente virtual.









A Tribo continua com a campanha de financiamento coletivo TERREIRA DA TRIBO - EU APOIO! Através da plataforma Benfeitoria, como forma de pedir apoio e colaboração de toda sociedade para manter o espaço da Terreira da Tribo e a Tribo de Atuadores neste momento tão complicado que passamos.

TERREIRA DA TRIBO - EU APOIO! https://benfeitoria.com/terreiradatribo