TERREIRA DA TRIBO 37 ANOS DE (R)EXISTÊNCIA

Artigo publicado no Correio do Povo em 11 de setembro de 2021. Fotos de Pedro Isaias Lucas.     No dia 14 de julho de 1984 a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz abria as suas portas para o público. Com um show de rock-punk que reuniu as bandas Replicantes e Urubu Rei, entre outras. Logo em seguida o Ói Nóis Aqui Traveiz encenou na nova casa “A Visita do Presidenciável ou Os Morcegos estão Comendo os Abacates Maduros”, uma parábola sobre o momento político que o Brasil vivia, com a saída dos militares de cena e a entrada de um governo civil. E anunciava para toda cidade “...todas as pessoas gostam de cantar, dançar, representar, pintar, fotografar. Qualquer pessoa é capaz de criar e a Terreira da Tribo está aí para isso”. E nesses 37 anos de atividades a Terreira da Tribo abrigou as mais diversas manifestações culturais como espetáculos de teatro, shows musicais, ciclos de filmes e vídeos, seminários, debates, performances e celebrações. Hoje a Terreira é reco

FLOR NOTURNA

🗝🔮  FLOR NOTURNA 🌷🌙

Nas noites de sexta e sábado, dias 27 e 28 de agosto, acontecerá a mais nova edição da 'A Transmissão da Flor'.
Nesta gira online as ações estão concentradas nas pesquisas em dramaturgias da formação de artistas da cena e nas poéticas e pedagogias de Tânia Farias.

 

27.08 • 20h às 22h

🐞 A FLOR NO TEMPO: partilhas sobre a história do projeto 'A Transmissão da Flor', a criação do ASA - Ateliê Sul de Atuação e o sacerdócio ao Teatro.
    Com Mariana Rotili, Tânia Farias e Vinícius Huggy

28.08 • 20h às 22h

🐝 POLINIZAÇÕES: Lançamento oficial do documentário 'A Transmissão da Flor: Pedagogias da Presença', vestígio audiovisual do encontro que reuniu pela primeira vez Tânia Farias, atriz do Ói Nóis Aqui Traveiz (RS) e Carlos Simioni, ator do Lume Teatro (SP) para somarem suas experiências e conduzirem juntos um trabalho de pesquisa e criação cênica com um grupo de 30 artistas do corpo de diferentes lugares do Brasil + disponibilização do documentário 'Desmontagem Evocando os Mortos - Poéticas da Experiência' no canal do youtube do projeto.




Conversa coletiva sobre os temas da flor da atuação e dramaturgias de formação. Contaremos com a presença de participantes das outras edições em espaço de compartilhamento de memórias, experiências e vislumbres.

ONDE: Canal do youtube da @atransmissaodaflor. O link será disponibilizado em breve.🕸

🚩Esta ação é parte do projeto A Transmissão da Flor: uma pesquisa em dramaturgias da formação contínua do espaço-tempo de um sacerdócio ao Teatro, realizada por meio do Prêmio Elisabete Anderle de 2019, da Fundação Cultural Catarinense - FCC