TERREIRA DA TRIBO 37 ANOS DE (R)EXISTÊNCIA

Artigo publicado no Correio do Povo em 11 de setembro de 2021. Fotos de Pedro Isaias Lucas.     No dia 14 de julho de 1984 a Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz abria as suas portas para o público. Com um show de rock-punk que reuniu as bandas Replicantes e Urubu Rei, entre outras. Logo em seguida o Ói Nóis Aqui Traveiz encenou na nova casa “A Visita do Presidenciável ou Os Morcegos estão Comendo os Abacates Maduros”, uma parábola sobre o momento político que o Brasil vivia, com a saída dos militares de cena e a entrada de um governo civil. E anunciava para toda cidade “...todas as pessoas gostam de cantar, dançar, representar, pintar, fotografar. Qualquer pessoa é capaz de criar e a Terreira da Tribo está aí para isso”. E nesses 37 anos de atividades a Terreira da Tribo abrigou as mais diversas manifestações culturais como espetáculos de teatro, shows musicais, ciclos de filmes e vídeos, seminários, debates, performances e celebrações. Hoje a Terreira é reco

Teatro Memória em Cartaz

Ao longo de 43 anos de história, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, tem realizado a guarda de seu acervo e divulgado sua trajetória através de publicações.
Compreendendo a trajetória e relevância do grupo no cenário das artes cênicas brasileiras, a produtora Sabiá Cultural, lança o projeto Teatro Memória em Cartaz, que tem como objetivo dar um novo passo dentro dos processos de preservação da memória do grupo, realizando pesquisa, documentação, higienização e acondicionamento da coleção de cartazes de espetáculos da Tribo.


A novidade no campo da memória e das artes cênicas no Rio Grande do Sul, além de realizar o processo de preservação desses objetos, irá promover ações formativas no âmbito da memória e conservação preventiva para a equipe de trabalho e o público em geral, Minidocumentário Ói Nóis: Entre Cartazes e Memórias e lançamento de Repositório Digital com todos os objetos catalogados no processo, contendo imagens em alta resolução, descrição visual e dados de pesquisa.
O início da programação de formação aberta ao público aconteceu na quinta-feira (12/08) e sexta-feira (13/08), às 18 horas, com o Webinário Performances da Memória. Os convidados são o Prof. Dr. Diego Lemos Ribeiro, que compartilha fala sobre os nexos entre coleções, patrimônio e memória, colocando em perspectiva a ideia de museu como potência criativa, onde a arte e o cotidiano se entrelaçam para fins vitais, e a Profa. Dra. Jeniffer Cuty, que abordará a Conservação como um olhar sensível, atento e cirúrgico sobre os acervos. Do estudo sobre o comportamento dos materiais, passando pela dialética e pela ética da Conservação. No dia 9 de setembro, às 18 horas, acontecerá o lançamento do Repositório Digital com a primeira coleção do acervo da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. 



Finalizando a programação no dia 10 de setembro, às 18h, acontecerá o lançamento do Minidocumentário Ói Nóis: Entre Cartazes e Memórias, que narra o processo de preservação da primeira coleção do acervo do grupo através do projeto Teatro Memória em Cartaz.


A programação cultural, as atividades de formação, o processo de preservação do acervo e criação do repositório digital foi viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20, por meio do Edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas da Fundação Marcopolo.
Toda a programação é gratuita e estará disponível para acesso no canal do Youtube da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.