ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ 44 ANOS [PARTE 2]

    Com um mês de atividades o Teatro Ói Nóis Aqui Traveiz foi interditado pela Secretaria de Segurança. Aí começou uma longa campanha pela reabertura do teatro. O fechamento agravou a situação econômica do grupo e a saída de alguns dos seus integrantes. Para vencer a crise o grupo buscou outros espaços para encenar o seu espetáculo. Também é o momento em que o grupo começou a compartilhar as suas experiências através de uma oficina de teatro. E é principalmente com os jovens desta oficina que criou a montagem de “A Bicicleta do Condenado”, do espanhol Fernando Arrabal: um preTexto para a reVolta do Ói Nóis Aqui Traveiz. Durante o processo de criação integrantes do grupo foram presos em manifestações contra a ditadura. Essa experiência de repressão e violência foi canalizada para a cena. A reabertura do Teatro trouxe para a encenação uma história de opressão e horror, onde duas pessoas tentam sobreviver em um lugar comandado por uma ordem militar. Se no primeiro espetáculo o público fi

Teatro Memória em Cartaz

Ao longo de 43 anos de história, a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, tem realizado a guarda de seu acervo e divulgado sua trajetória através de publicações.
Compreendendo a trajetória e relevância do grupo no cenário das artes cênicas brasileiras, a produtora Sabiá Cultural, lança o projeto Teatro Memória em Cartaz, que tem como objetivo dar um novo passo dentro dos processos de preservação da memória do grupo, realizando pesquisa, documentação, higienização e acondicionamento da coleção de cartazes de espetáculos da Tribo.


A novidade no campo da memória e das artes cênicas no Rio Grande do Sul, além de realizar o processo de preservação desses objetos, irá promover ações formativas no âmbito da memória e conservação preventiva para a equipe de trabalho e o público em geral, Minidocumentário Ói Nóis: Entre Cartazes e Memórias e lançamento de Repositório Digital com todos os objetos catalogados no processo, contendo imagens em alta resolução, descrição visual e dados de pesquisa.
O início da programação de formação aberta ao público aconteceu na quinta-feira (12/08) e sexta-feira (13/08), às 18 horas, com o Webinário Performances da Memória. Os convidados são o Prof. Dr. Diego Lemos Ribeiro, que compartilha fala sobre os nexos entre coleções, patrimônio e memória, colocando em perspectiva a ideia de museu como potência criativa, onde a arte e o cotidiano se entrelaçam para fins vitais, e a Profa. Dra. Jeniffer Cuty, que abordará a Conservação como um olhar sensível, atento e cirúrgico sobre os acervos. Do estudo sobre o comportamento dos materiais, passando pela dialética e pela ética da Conservação. No dia 9 de setembro, às 18 horas, acontecerá o lançamento do Repositório Digital com a primeira coleção do acervo da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. 



Finalizando a programação no dia 10 de setembro, às 18h, acontecerá o lançamento do Minidocumentário Ói Nóis: Entre Cartazes e Memórias, que narra o processo de preservação da primeira coleção do acervo do grupo através do projeto Teatro Memória em Cartaz.


A programação cultural, as atividades de formação, o processo de preservação do acervo e criação do repositório digital foi viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20, por meio do Edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas da Fundação Marcopolo.
Toda a programação é gratuita e estará disponível para acesso no canal do Youtube da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz.