TEATRO COMO LABORATÓRIO PARA IMAGINAÇÃO SOCIAL

TEATRO COMO LABORATÓRIO PARA IMAGINAÇÃO SOCIAL  Fotos de Eugênio Barboza ‘A Arte em todas as suas modalidades tem por função básica a estruturação e o desenvolvimento da sensibilidade e do pensamento dos seres humanos. O teatro tem por objeto a análise crítica e a exposição das relações inter-humanas, o que faz dele um dos mais poderosos aliados na luta permanente em favor da construção da cidadania.’ A história da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, criada em 1978, sempre se pautou pela  firmação da diferença, da independência em relação ao mercado e às estruturas de poder, com encenações caracterizadas pela ousadia e liberdade criativa. As suas três principais vertentes são: o Teatro de Rua, nascido das manifestações políticas – de linguagem popular e intervenção direta no cotidiano da cidade – o Teatro de Vivência, no sentido de experiência partilhada, em que o espectador torna-se participante da cena – e o trabalho artístico Pedagógico, desenvolvido em sua sede, a Terreira da

UBU TROPICAL!

UBU REI DE ALFRED JARRY - TRAD. FERREIRA GULLAR

Ói Nóis
ConVIDA

 

💥💥💥💥💥💥
OFICINA PRESENCIAL NA TERREIRA DA TRIBO
💥💥💥💥💥💥


Essa vai pra todes que vem perguntando sobre as oficinas da Terreira.

A boa nova é que faremos duas oficinas ainda este mês.


Para quem ainda não está sabendo, neste momento o grupo começa a se debruçar sobre nova pesquisa com o intento de criar um UBU TROPICAL. A partir da personagem Pai Ubu, icônica para todo o teatro ocidental que influenciou as vanguardas em todas as partes do mundo, o grupo visa criar um estudo público do teatro de Alfred Jarry e do Tropicalismo.

 Ainda no "Ciclo I: Estudos", iremos oferecer duas oficinas de compartilhamento que acontecerão nos dias 26 e 28 de outubro, das 19 às 22H na Terreira da Tribo. Dia 26 o mote será a personagem PAI UBU e dia 28 o TROPICALSIMO.

Atenção para os detalhes.
👇🏼👇🏼👇🏼


🔥serão oferecidas 12 vagas para cada oficina. As oficinas serão gratuitas e independentes uma da outra.  Portanto, precisam de inscrições separadamente.


🔥Podem se inscrever em mais de uma.

🔥Serão adotados todos os protocolos de segurança sanitária. Portanto, as oficinas, que serão práticas, serão realizadas de máscara e com distanciamento social.


🔥 As pessoas selecionadas deverão apresentar a carteira de vacinação com as duas doses já tomadas

 🔥O Ói Nóis se reserva o direito de garantir lugares para pessoas autodeclaradas negras, indígenas e trans/travestis, através da política de cotas.

Vamo arriba!!!! Esperamos por esse reencontro!!!

Link de inscrições na bio e blog Ói Nóis Aqui Traveiz. Atenção que as inscrições vão até dia 23/10.

Este projeto tem o apoio do Rumos Itaú Cultural 2019-2020
#rumos #itaucultural #AlfredJarry #Jarry #teatrodoabsurdo #PaiUbu
@itaucultural


O Projeto UBU TROPICAL procura compreender a estruturação de Pai Ubu e esmiuçar seu processo de construção, para entender o porquê de sua permanência e revisão ao longo de tantos anos, por tantos artistas de áreas distintas, em tantos países diferentes, chegando até o movimento tropicalista, balizador de toda arte contemporânea brasileira. A personagem Pai Ubu é uma espécie de work in progress que se coloca sempre em movimento de reconstrução. O francês Alfred Jarry (1873-1907) é o primeiro dramaturgo do novo teatro contemporâneo. Se bem que não se trata de um autor dramático em sentido estrito, sim o autor de uma obra – ou mais ainda, do criador de uma personagem – que desde que foi para cena vem revolucionando a cena teatral. Na peça Ubu Rei narra as peripécias de uma personagem grotesca e cruel, Pai Ubu, que incitado por Mãe Ubu assassina o rei da Polônia e coroa a si mesmo. Inicia uma longa serie de atrocidades que inclui traições, roubos, corrupção e assassinatos. Personagem ambicioso, covarde e irracional, o legendário Pai Ubu antecipa, em chave humorística, alguns dos governantes autoritários e dementes que surgiram no último século.
 
Jarry desenvolveu uma interessante saga (Ubu Rei, Ubu Cornudo, Ubu Acorrentado e Ubu na Colina, são as mais destacadas), de comédia bufa e as vezes, escatológica e absurda, que fundou um novo estilo e uma nova concepção estética e ideológica. Daí beberam todas as vanguardas do século XX, como dadaístas, surrealistas, o teatro do absurdo, e grande parte do humor grotesco contemporâneo. A provocação de Ubu chega inclusive ao universo da linguagem inventando palavras, e chamando atenção para um mundo aparentemente ordenado e progressista, mas que a todo momento cria os seus brutais Ubus. O movimento modernista foi influenciado por todas as vanguardas surgidas na Europa, e levou o seu principal porta-voz, Oswald de Andrade, criar o conceito de Antropofagia, que décadas depois ressurgiria no Tropicalismo, influenciando a arte brasileira até os dias de hoje. O próprio teatro de Oswald de Andrade é marcado pelo personagem do Pai Ubu. Principalmente na criação de Abelardo I, personagem símbolo da falta de escrúpulos da burguesia nacional, de O Rei da Vela. 
 
A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, herdeiro das ideias tropicalistas, acredita que o Teatro de Rua traz intrínseco na sua manifestação valores significativos que expressam o combate a alienação e exclusão cultural, valorizando a nossa identidade e afirmando princípios libertários, criando um teatro popular, onde arte e política se fundem, voltado para a maior parte da população. Transformando a rua em palco de um teatro que se assuma como um constante repensar da sociedade, motivando uma releitura da vida cotidiana. No momento histórico em que vivemos, onde a grande maioria da população brasileira, por suas carências econômicas e culturais, não tem acesso as salas de espetáculos, o Teatro de Rua assume um papel fundamental na democratização da arte.
 
 

INSCRIÇÃO
 

INSCRIÇÃO