A arte de transformar a realidade em poesia | Sebastião Milaré

No barco, sobre as Águas do Guaíba, afastando da Ilha do presídio e vendo as luzes de Porto Alegre às margens, tive a sensação de ver o passo derradeiro de um ritual sagrado. O que vivenciei na Ilha do presídio, ou Ilha das Pedras Brancas, tinha natureza própria ao ato litúrgico, mas era ato teatral. Teatro na acepção da arte que atualiza símbolos no Imaginário do espectador. E liturgia.

Não há contradição, pois no ato litúrgico o oficiante atualiza símbolos no imaginário dos fiéis. E foi isso que vivenciei naquela noite, caminhando pelas ribanceiras escuras, cheias de buracos e pedras, atrás de imagens que conduziam a inesperados ambientes, como as ruínas do antigo presídio ou a uma espécie de jardim de estátuas. Atores e atrizes surgiam da vegetação ou das trevas como gnomos. Ou sacerdotes de mítica seita, em celebração.




E o ritual, animado por cenas evocativas, assumidamente poéticas em atrito com as outras mais definidas e realistas, só terminaria no momento em que o barco apo…

Projetos

- Caminho Para Um Teatro Popular – Circuito regular de apresentações de teatro de rua em praças, bairros, vilas populares e assentamentos rurais, democratizando o espaço da arte, oportunizando vivências e reflexões para um público carente econômica e culturalmente.
O Projeto Caminho Para Um Teatro Popular é desenvolvido desde 1988. Trabalhando a ideia de um teatro político que sirva de instrumento de reflexão e conscientização social e de combate à colonização e massificação culturais. O Ói Nóis Aqui Traveiz atuando nas ruas atinge um público que pelas suas carências econômicas e culturais está afastado das salas de espetáculos, democratizando o espaço da arte. O Projeto desde a sua criação já apresentou pelos diversos bairros das cidades do Rio Grande do Sul os espetáculos ‘A História do Homem que Lutou sem Conhecer seu Grande Inimigo’, ‘Teon – Morte em Tupi Guarani’, ‘Dança da Conquista’, ‘Deus Ajuda os Bão’, ‘Os Três Caminhos Percorridos por Honório dos Anjos e dos Diabos’, ‘Se Não Tem Pão, Comam Bolo!’, ‘Independência ou Morte!’, ‘A Heroína de Pindaíba’, ‘A Exceção e a Regra’ e ‘A Saga de Canudos’.

- A Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz - Jogos de Aprendizagem é um compartilhamento do processo pedagógico colocado em prática pela Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz através dos exercícios cênicos criados nas Oficinas Populares de Teatro dentro da ação Teatro Como Instrumento de Discussão Social. 

- A ação Teatro Como Instrumento de Discussão Social, desenvolve Oficinas de Teatro em quatro bairros da Região Metropolitana de Porto Alegre (nos bairros Humaitá, Bom Jesus, Sarandi e São Geraldo) e no centro da cidade de Canoas. As Oficinas Populares de Teatro da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz têm como objetivo fomentar a organização de grupos culturais nos bairros. Abrindo espaço para sensibilização e experiência do fazer teatral, apostando no teatro como instrumento de indagação e conhecimento de si mesmo e do mundo, assim como veículo de formação, informação e transformação social. Entendendo a cultura como agente formador de mentalidades com conseqüente influência direta na condução dos rumos da sociedade, e a atividade teatral como a mais objetiva das manifestações artísticas na reflexão do homem sobre si e sua realidade social. A proposta de trabalho teatral segue os fundamentos principais da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, que visa a formação de atores-cidadãos com a necessária qualificação para estar a serviço da construção de uma sociedade justa e solidária. As Oficinas Populares de Teatro são gratuitas e abertas a todos interessados.

- O Festival de Teatro Popular – Jogos de Aprendizagem é fruto do trabalho que a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz desenvolve em diferentes bairros de Porto Alegre. Desde 2004 acontece a Mostra Ói Nóis Aqui Traveiz: Jogos de Aprendizagem resultado do processo pedagógico colocado em prática pela Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo. O batismo Jogos de Aprendizagem do Festival provém de um conceito da teoria da Peça Didática de Brecht. Ao traduzir o termo Lehrstück para o inglês, Brecht  usou a denominação learning play, ou seja, jogo de aprendizagem. O acento na atitude ativa do aprendiz é acentuado, em detrimento do ensinamento catequético, ou da lição a ser aprendida. Podemos aproximar a teoria da Peça Didática aos preceitos pedagógicos mais radicais como aqueles de Paulo Freire e Vygotski.



Cartaz da 1º Edição do Festival
Cartaz da 2º Edição do Festival
Cartaz da 3º Edição do Festival














Cartaz da 4º edição do Festival

Cartaz da 5º edição do Festival

- Seminários e Ciclos de Debates sobre Teatro – Encontros com atores, diretores, pesquisadores e professores de teatro para debater questões da cena contemporânea.